the ultimate jazz archive: boogie woogie 17

posts relacionados
the ultimate jazz archive: blues

the ultimate jazz archive: boogie woogie</span>
the ultimate jazz archive: swing to bebop, modern jazz
the ultimate jazz archive: big bands
the ultimate jazz archive: vocalists

A origem do termo 'boogie-woogie' é desconhecido. No entanto, Dr. John Tennison, psiquiatra, pianista e musicólogo sugeriu alguns precursores interessantes da lingüística africana. Entre eles estão quatro termos africanos: a palavra ‘boog’ da língua Hausa e ‘booga’ da língua Mandinga, ambas significando ‘bater’, como batendo um tambor. Há também a palavra ‘bogi’ do Oeste Africano que significa ‘para dançar’, e ‘mbuki mvuki’ do Bantu, ‘mbuki’ que significa ‘voar’ e mvuki ‘dançar descontroladamente’. Os significados de todas estas palavras são consistentes com a dança e os comportamentos desinibidos historicamente associados a música boogie-woogie. A origem africana é evidente pois a música surgiu entre os recém-emancipados afro-americanos. Na literatura das partituras antes de 1900, há pelo menos três exemplos do uso da palavra ‘bogie’ em títulos de música nos arquivos da Biblioteca do Congresso dos EUA. E em 1901, ‘hoogie boogie’ apareceu no título de partituras publicadas. Quanto às gravações de áudio, a primeira aparição no título de uma gravação parece ter sido feita do ‘American Quartet’ por Thomas Edison em ‘That Synchopated Boogie Boo’ em 1913, e na composição ‘Boogie Rag’ de Wilbur Sweatman em 1917. No entanto, nenhum destes exemplos de partituras ou de gravação de áudio contém os elementos musicais que os identificam como boogie-woogie. As gravações ‘Weary Blues’ de 1915, do grupo ‘Louisiana Five’, uma das primeiras dixieland jazz band, e do pianista Artie Matthews são reconhecidas como as mais antigas com figuras musicais do boogie-woogie.

uma improvisação de barrelhouse,
um estilo vigoroso e rude do jazz para piano, originário de Nova Orleans

Blind Lemon Jefferson, cantor e guitarrista do Texas, usou o termo ‘booga rooga’ para se referir a uma figura que ele usou em ‘Match Box Blues’. Texas, como o estado de origem, foi reforçado por Jelly Roll Morton , que disse ter ouvido esse estilo de piano por lá no início do século 20. A primeira vez que a ortografia moderna ‘boogie-woogie’ foi usada em um título de gravação foi em 1928 na canção ‘Pine Top's Boogie Woogie’ de Pine Top Smith, cuja letra contém instruções de dança para ‘boogie-woogie’. A gravação ‘Chicago Stomps’ de Jimmy Blythe de 1924 é reconhecido como o primeiro disco solo de piano boogie-woogie. ’Pinetop’s Boogie Woogie’ de Pinetop Smith, gravada em 1928 foi a primeira gravação a ser um sucesso comercial, e ajudou a estabelecer o termo ‘boogie-woogie’ como um estilo. Outro exemplo de puro 'boogie-woogie' é ‘Honky Tonk Train Blues’ gravado por Meade Lux Lewis, lançado em 1930. Entre os muitos pianistas que foram expoentes do gênero, apenas alguns tiveram uma influência duradoura sobre a cena musical. Talvez o mais conhecido seja Albert Ammons. Sua ‘Boogie Woogie Stomp’, lançada em 1936, foi uma gravação fundamental, não apenas para o 'boogie-woogie', mas para a música em geral. Seus riffs com a mão direita são semelhantes aos utilizados no início do rock and roll pelos guitarristas. Os outros dois foram os compatriotas de Ammons, Meade ‘Lux’ Lewis e Pete Johnson. Antes deles os dois pianistas líderes foram Jimmy Yancey e ‘Pine Top’ Smith. Hoje, o 'boogie-woogie' está sendo difundido pelo pianista canadense Michael Kaeshammer, o norte-americano Rob Rio, o suíço Silvan Zingg e particularmente o alemão Axel Zwingenberger, cujas gravações e apresentações têm uma grande influência na cena contemporânea.

O estilo 'boogie-woogie' ganhou ainda mais atenção do público em 1938 e 1939, graças aos concertos ‘From Spirituals to Swing’ no Carnegie Hall promovidos pelo produtor musical John Hammond. Nos concertos, Big Joe Turner e Pete Johnson tocaram ‘Roll 'Em Pete’; Meade Lux Lewis tocou ’Honky Tonk Train Blues’ e Albert Ammons, ‘Swanee River Boogie’. ’Roll 'Em Pete’ agora é considerada como um dos primeiros precursores do rock and roll. Estes três pianistas, com Big Joe Turner, fixaram residência em New York e se apresentavam no popular e sofisticado clube ‘Café Society’. Eles, muitas vezes, tocavam em combinações com dois e até três pianos. Após os concertos do Carnegie Hall, era natural que bandas de swing incorporassem o ritmo 'boogie-woogie' em algumas das suas músicas. A banda de Tommy Dorsey gravou uma versão atualizada de ‘Pine Top’s Boogie Woogie’, em 1938. E a orquestra de Will Bradley teve uma série de sucessos com as versões originais de ‘Beat Me Daddy (Eight To The Bar)’, ‘Down The Road A-Piece’ e ‘Scrub Me Mamma With A Boogie Beat’. Depois disso, toda grande banda tinha um ou dois números de 'boogie- woogie' em seu repertório.

Albert Ammons | Meade Lux Lewis | Pete Johnson

Albert Ammons (1907 - 1949), nascido em Chicago, Illinois, de pais pianistas aprendeu a tocar com 10 anos de idade e quando adolescente já se apresentava com bandas nos clubes de Chicago. Após a I Guerra Mundial interessou-se pelo blues, ouvindo os pianistas Hersal Thomas e os irmãos Alonzo e Jimmy Yancey. No início dos anos 20 trabalhando como motorista de táxi para a empresa 'Silver Taxicab' conheceu um outro motorista de táxi que também tocava piano, Meade Lux Lewis. Logo os dois começaram a se apresentar em festas e clubes. Em 1934, Ammons tocou com a banda do 'Club DeLisa' onde permaneceu por dois anos. Durante esse tempo, seus parceiros foram Guy Kelly, Dalbert Bright, Jimmy Hoskins e Israel Crosby. Com o grupo 'Albert Ammons's Rhythm Kings' gravou para a 'Decca Records', em 1936. A versão de 'Swanee River Boogie' vendeu um milhão de cópias e Ammons se mudou de Chicago para Nova York, onde se juntou a outro pianista, Pete Johnson. Os dois se apresentavam regularmente no 'Café Society' ocasionalmente acompanhados por Meade Lux Lewis, e com outros notáveis do jazz como Benny Goodman e Harry James. Em 1938, os três se apresentaram no 'Carnegie Hall', um evento que ajudou a lançar a mania 'boogie woogie'. Depois participaram dos concertos ‘From Spirituals to Swing’ promovidos pelo produtor musical John Hammond. Duas semanas depois assinaram com a 'Blue Note Records'. Como sideman, Ammons gravou com Sippie Wallace em 1940 em uma sessão com seu filho, o saxofonista tenor Gene Ammons. Em 1944, Ammons interpretou ele mesmo no filme 'Boogie-Woogie Dream' com Lena Horne e Pete Johnson. Embora a moda boogie-woogie começasse a se diluir em 1945 Ammons não teve dificuldade em prosseguir. Ele continuou como artista solo, e entre 1946 e 1949 gravou para a 'Mercury Records' com o baixista Israel Crosby. Albert Ammons teve grande influência sobre inúmeros pianistas.

Meade Lux Lewis (1905 - 1964) também nasceu em Chicago. Em sua juventude foi influenciado pelo pianista Jimmy Yancey. Sua obra mais conhecida, 'Honky Tonk Train Blues', foi gravada em vários contextos, muitas vezes em arranjos para big band. Uma versão desta obra em 1927 marcou sua estréia na gravadora Paramount. O seu sucesso levou a mania 'boogie woogie' a uma década de duração. Lewis também tocou cravo em algumas gravações de 1941. Após a mania boogie-woogie terminar, continuou trabalhando em Chicago e Califórnia. Meade Lux Lewis participou dos filmes 'New Orleans' (1947) e 'Nightmare' (1956). Desconfortável como pianista do decadente boogie-woogie e do blues, Lewis passou seus últimos anos tocando ragtime e canções pop. Lewis morreu em um acidente de carro aos 58 anos.

Pete Johnson (1904 - 1967) nasceu em Kansas City, Missouri, e começou sua carreira musical em 1922 como baterista. De 1926 a 1938 ele trabalhou como pianista, muitas vezes acompanhando Big Joe Turner. Em 1938, Johnson e Turner tocaram no 'From Spirituals to Swing' no Carnegie Hall junto com Meade Lux Lewis e Albert Ammons, e depois trabalharam juntos no 'Café Society' por um longo tempo. A canção, 'Roll 'Em Pete', composta por Johnson e Turner, com Turner nos vocais e Johnson no piano, foi um dos primeiros registros do rock'n'roll, embora haja fortes motivos para acreditar que ele roubou a canção de Jelly Roll Morton, que esquecia de registrar suas obras, deixando-o sem direito a elas. No final de 1940, Johnson gravou o álbum conceitual, 'House Rent Party', em que ele começa a tocar sozinho, supostamente em uma casa vazia, e se juntam a ele JC Higgenbotham, JC Heard e outros grandes músicos de Kansas. Cada um apoiado por Johnson, e, em seguida, o grupo como um todo em uma jam. Neste álbum, Johnson mostra seu comando considerável de stride piano e sua capacidade de trabalhar com um grupo. Em 1949, Pete Johnson também escreveu e gravou 'Rocket 88 Boogie' que influenciou Ike Turner a gravar 'Rocket 88' em 1951. Em 1950, Pete Johnson mudou-se para Buffalo, e apesar dos problemas de saúde, continuou em turnês e a gravar, nomeadamente com Jimmy Rushing, Big Joe Turner e em 1958 com a 'Jazz at the Philharmonic' em turnê pela Europa. Um acidente vascular cerebral neste mesmo ano o deixou parcialmente paralisado. Seus últimos anos foram de pobreza extrema. Johnson fez uma última aparição em 1967 no concerto 'Spirituals to Swing' de John Hammond tocando com a mão direita uma versão de 'Roll 'Em Pete', dois meses antes de sua morte com 62 anos de idade.




17-1 Albert Ammons (1939-1946)

Tracklist
01. Boogie Woogie Stomp
02. Chicago in Mind
03. Suitcase Blues
04. Boogie Woogie Blues
05. Untitled Ammons Original
06. Bass Goin' Crazy
07. Backwater Blue
08. Changes in Boogie Woogie
09. Albert's Special Boogie Woogie
10. The Boogie Rocks
11. Blues on My Mind
12. Bugle Boogie
13. Doin' the Boogie Woogie
14. Oh, Lady be Good
15. Suitcase Blues
16. Boogie Woogie At the Civic Opera
17. Swanee River Boogie
18. Why I'm Leaving You
19. I Don't Want to See You
20. Red Sails in the Sunset


17-2 Meade 'Lux' Lewis (1940-1944)

Tracklist
01. Honky Tonk Train Blues
02. Bass on Top
03. Six Wheel Chaser
04. Tell Your Story
05. Tell Your Story N 2
06. Rising Tide Blues
07. Doll House Boogie
08. Denapas Parade
09. The Boogie Tidal
10. Randini's Boogie
11. Lux's Boogie
12. Yancey's Pride
13. Glendale Glide
14. Yancey Special
15. Blues Whistle
16. Chicago Flyer


17-3 Pete Johnson (1944-1947)

Tracklist
01. Kaycee Feeling
02. Lights Out Mood
03. Drive Bomber
04. Answer to the Boogie
05. Mr. Freddy Blues
06. Zero Hours
07. Bottomland Boogie
08. Rock it Boogie
09. Backroom Boogie
10. 1946 Stomp (1280 Stomp)
11. Pete's Lonesome Blues
12. Mr. Drums Meets Mr. Piano
13. Mutiny in the Doghouse
14. Pete Kay Boogie
15. Central Avenue Drag
16. 66 Stomp
17. Minuet Boogie
18. Yancey Street Boogie
19. Hollywood Boogie
20. Wiley's Boogie


17-4 The Big Band Boogie Woogie (1938-1956)

Tracklist
01. Artie Shaw and His Orchestra - Meade Lux Special
02. Tommy Dorsey and His Orchestra - Boogie Woogie
03. Bob Crosby and His Orchestra - Honky Tonky Train Blues
04. Woody Herman and His Orchestra - Indian Boogie Woogie
05. Benny Goodman and His Orchestra with Albert Ammons & Meade 'Lux' Lewis - Roll 'Em
06. Harry James and His Orchestra - Back Beat Boogie
07. Bob Zurke and His Delta Rhythm Band - Cow Cow Blues
08. Count Basie - Basie Boogie
09. Earl Hines and His Orchestra - Boogie Woogie on the St. Louis Blues
10. Charlie Barnet and His Orchestra - Scrub Me Mama with a Boogie Beat
11. Gene Krupa and His Orchestra - Drum Boogie
12. Count Basie Orchestra - Basie Boogie
13. Lionel Hampton - Hamp's Boogie Woogie
14. Jack Teagarden and His Orchestra - Boogie Woogie
15. Count Basie - Wild Bill's Boogie
16. Lionel Hampton - Hamp's Walking Boogie
17. Lionel Hampton and His Orchestra - Hamp's Boogie Woogie No. 2
18. Gene Krupa and His Swinging Big Band - Gene's Boogie
19. Count Basie - Hob Nail Boogie
20. Woody Herman and His Orchestra - Pinetop's Blues


Boogie Woogie History
Albert Ammons, Pete Johnson, Meade Lux Lewis



</span>

publicado por mara* às 20:21 | link do post | comentar