robert crumb's heroes of blues, jazz & country

O ilustrador de quadrinhos Robert Dennis Crumb, reconhecido pelo estilo distinto de seus desenhos e sua crítica satírica do modo de viver norte-americano, foi o fundador do movimento ‘underground comix’ e é considerado como sua figura mais proeminente. Além dos conhecidíssimos quadrinhos ‘Keep on Truckin’’ e ‘Fritz the Cat’ os outros personagens populares são ‘Devil Girl’ e ‘Mr. Natural’. Robert Crumb nasceu na Filadélfia, Pensilvânia. Ele é de ascendência escocesa, e de sua árvore genealógica faz parte o ex-presidente dos EUA, Andrew Jackson por parte de mãe. Seu pai, Charles, era um oficial de carreira na marinha. Sua mãe, dona de casa, abusava de anfetaminas e as crianças eram testemunhas de um casamento infeliz. O primeiro emprego de Crumb como artista foi para a empresa Topps. E a primeira produção gráfica foi para o livro 'The Yum Yum Book’ em 1963, um conto de fadas sobre um sapo chamado Oggie. Em meados dos anos 60, Crumb saiu de casa e se mudou para Cleveland, Ohio. Em 1967, incentivado pela reação a alguns desenhos que havia publicado em jornais underground Crumb se mudou para San Francisco, Califórnia, o centro do movimento da contracultura. Com o apoio do editor de quadrinhos Don Donahue, publicou a primeira edição de sua ‘Zap Comix’, que se tornou a mais conhecida e uma das mais populares revistas em quadrinhos underground embora não seja considerada a primeira história em quadrinhos underground publicada até então, mas Zap marca o início da era do ‘underground comix’.

No início de 1980, Crumb colaborou com o escritor Charles Bukowski em uma série de histórias em quadrinhos, que caracteriza a arte de Crumb e a escrita de Bukowski. Depois de anos na Califórnia, e um segundo casamento, Crumb e família mudaram-se para uma pequena aldeia perto de Sauve no sul da França, em 1993, onde vivem até hoje. Crumb é um artista prolífico e contribuiu para muitas das obras seminais do movimento underground dos anos 60. Durante este tempo, inspirado no movimento psicodélico e desenhos animados dos anos 20 e 30, criou personagens que se tornaram extremamente populares.Temas sexuais abundavam em todos esses projetos, e alguns quadrinhos muitas vezes beiravam o pornográfico. Com o passar dos anos o seu trabalho tornou-se mais autobiográfico. E freqüentemente tem a colaboração de sua mulher, Aline Kominsky. Crumb também citou o uso de LSD como um fator que o levou a desenvolver o seu estilo único. A arte em quadrinhos de Crumb também suscitou duros comentários. Numerosos críticos citam seus desenhos de mulheres muito sexualizadas, muitas vezes em papéis subservientes, chamando-o de o chefe machista dos quadrinhos underground. Outros críticos, tais como o cartunista afro-americano e autor Charles Johnson, alegam que os quadrinhos Crumb são inerentemente racistas devido aos desenhos racialmente estereotipados. Mesmo assim, Crumb continua sendo uma figura de destaque, tanto como artista quanto influente no meio dos quadrinhos alternativos.

    

‘Fritz the Cat’     |      ‘Keep on Truckin'

Crumb é notável em pelo menos duas criações, ‘Fritz the Cat’ e o onipresente logotipo ‘Keep on Truckin'. ‘Fritz the Cat’ é uma tira de quadrinhos originariamente desenhada por Robert Crumb quando criança. Fritz foi esboçado pela primeira vez em 1959 aparecendo como um gato doméstico chamado Fred. Os quadrinhos foram inspirados no gato da família e foi desenhado para divertir as irmãs e o irmão mais novo. Fritz apareceu no início dos anos de 60 em tiras denominadas ‘Animal Town’. A aparição seguinte do personagem foi na história ‘Robin Hood’, quando então ele adotou a aparência antropomórfica e teve o nome mudado para Fritz. Em 1964, Crumb desenhou muitas tiras de ‘Fritz the Cat’ para a sua própria diversão. As histórias se passam numa grande cidade habitada por animais antropomórficos, sendo que o gato Fritz é o personagem principal. Um calmo felino com tendências artísticas que frequentemente se vê envolvido em aventuras selvagens, nas quais passa por várias experiências sexuais. Em janeiro de 1965, foi publicado o que seria a primeira aparição impressa do personagem. Fritz trazia uma garota gato para o lar e tirava suas roupas com o pretexto de livrá-la das pulgas. Fritz é descrito como egocêntrico e hedonista, sem qualquer moral ou ética. O senso de fantasia de Crumb levou Fritz a aparecer em diferentes papéis durante os anos, incluindo o de um pop star, um poeta hippie, um estudante alienado, um agente secreto e um militante revolucionário. Crumb abandonou o personagem em 1972.

‘Keep on Truckin' é uma página em quadrinhos onde se vê uma sequência de imagens engraçadas e a frase inspirada na canção de 1930, ‘Truckin’ My Blues Away’, do guitarrista e vocalista de blues Blind Boy Fuller. A tira se tornou uma imagem icônica de otimismo durante a era hippie. Os direitos autorais sobre esta imagem tem sido repetidamente violada e imagens dele têm sido amplamente reproduzida em camisetas, cartazes, fivelas de cintos e outros itens. Crumb usa o desenho como um excelente exemplo do desconforto que sentia com sua fama repentina no final dos anos 60, dizendo: - Tornei-me agudamente auto-consciente sobre o que eu estava fazendo. Eu era agora um porta-voz dos hippies ou o quê? Eu não tinha idéia de como lidar com a minha nova posição na sociedade! Este cartoon estúpido aparecia em todo lugar. Houve um DJ no rádio na década de setenta, que gritava a cada 10 minutos ‘And don't forget to KEEP ON TR-R-RUCKIN'!. ‘Keep on Truckin’ é a maldição da minha vida.

    

Mr Natural, Flakey Foont & DevIl Girl      |      Cheap Thrills'

Em 1965, Crumb fez uso de muito LSD e criou vários personagens, dentre eles, ‘Mr. Natural’, um místico guru que esbanja aforismos sobre os males do mundo moderno e a salvação que pode ser encontrada no misticismo e na vida natural. Ele renunciou ao mundo material e vive apenas em troca da suas pepitas de sabedoria. Geralmente é descrito como um pouco acima do peso, careca, com uma longa barba branca, e usa uma túnica que lembra os profetas do antigo testamento. Há quem veja Mr Natural como uma sátira à Maharishi Mahesh Yogi, que no final dos anos 60 alcançou a fama como o guru dos Beatles e outras celebridades. Mr Natural, o guru barbudo de Crumb tem estranhos poderes mágicos e possui uma visão cósmica, mas ele também é temperamental, cínico, e sofre de várias estranhas obsessões sexuais. Parte sábio, parte vigarista, não tem um pingo de remorso quando é chamado de golpista. Seu discurso direto o coloca em apuros, como quando ele foi expulso do céu por dizer a Deus que é ultrapassado. Normalmente frio e controlado, também acaba em dificuldades como quando foi jogado na prisão por abuso sexual de criança ou trancafiado durante anos em uma instituição mental.

Mr. Natural é sempre abordado por candidatos a discípulos que buscam a verdade, entre eles está Flakey Foont que é respeitado com condescendência divertida e um certo carinho relutante, embora a paciência muitas vezes se esgota e Mr Natural tem o prazer sádico em fazê-lo sentir-se como idiota. Na década de 80, Crumb trouxe de volta Mr. Natural e Flakey Foont, e os dois entraram em um relacionamento tempestuoso com a jovem Cheryl Borck, a Devil Girl. Flakey Foont não consegue tirá-la de sua mente, a sua língua ultrajante e o seu corpo assolam os seus pensamentos. E ele está disposto a jogar tudo para o alto só para estar perto dela. Ele sabe que é um tolo, mas não faz diferença.

Cheap Thrills’ é o segundo álbum da banda de rock ‘Big Brother and the Holding Company’, lançado em 1968, e o último álbum de Janis Joplin como vocalista principal da banda. O álbum tem três músicas gravadas ao vivo e vendeu cerca de um milhão de cópias. A capa do disco, ícone da arte underground dos anos da contracultura, foi desenhada por Robert Crumb.

Crumb também tem, freqüentemente, desenhado quadrinhos sobre seus interesses musicais em blues, country, bluegrass, cajun, French Bal-musette, jazz, big band e swing dos anos 20 e 30 e foi líder da banda ‘R. Crumb & His Cheap Suit Serenaders’, na qual era vocalista, compositor e tocava banjo e outros instrumentos. E também ilustrou muitas capas de álbuns. Pelo menos três documentários televisivos ou teatrais são dedicados a Crumb que recebeu vários prêmios por seu trabalho. Enfim, Robert Crumb é o artista mais famoso e colecionável dos anos 60 e 70. E qualquer pessoa que conhece o trabalho de R. Crumb como ilustrador sabe de sua paixão pela música. Apesar de seu trabalho gráfico mais famoso para o álbum ‘Cheap Thrills’, as simpatias musicais de R. Crumb sempre foram em direção à musicalidade mais acústica. Colecionador voraz da música pré-Segunda Guerra Mundial ou pre-war blues, no início dos anos 80, ele produziu três conjuntos de figurinhas coloridas dedicadas principalmente ao blues, ao jazz e ao country: ‘The Heroes of the Blues’, ‘Early Jazz Greats’ e ‘Pioneers of Country Music’, tornando ícones os seus ídolos. Para cada herói e heroína ocasional como a grande blueswoman Memphis Minnie foi dado um único cartão com uma breve descrição da carreira do artista. Vinte anos depois, os três conjuntos foram reimpressos em um livro capa-dura. São 114 desenhos, baseados principalmente em fotografias raras e trechos de filmagens de noticiários como sua fonte primária. O livro é uma forte reflexão e declaração de amor do artista para a música em grande parte desconhecida para a maioria. Os editores incluíram um disco com 21 dos artistas de renome. O livro ‘R. Crumb's Heroes of Blues, Jazz, & Country’ funde suas duas obsessões: desenho e música.

R. Crumb's Heroes of Blues, Jazz & Country (2006)

Tracklist
01. Memphis Jug Band - On The Road Again
02. Blind Willie McTell - Dark Night Blues
03. Cannon's Jug Stompers - Minglewood Blues
04. Skip James - Hard Time Killin' Floor Blues
05. Jaybird Coleman - I'm Gonna Cross The River Of Jordan - Some O' These Days
06. Charley Patton - High Water Everywhere
07. Frank Stokes - I Got Mine
08. "Dock" Boggs - Sugar Baby
09. Shelor Family - Big Bend Gal
10. Hayes Sheperd - The Peddler And His Wife
11. Crockett's Kentucky Mountaineers - Little Rabbit
12. Burnett & Rutherford - All Night Long Blues
13. East Texas Serenaders - Mineola Rag
14. Weems String Band - Greenback Dollar
15. Bennie Moten's Kansas City Orchestra - Kater Street Rag
16. "King" Oliver's Creole Jazz Band - Sobbin' Blues
17. Parham-Pickett Apollo Syncopators - Mojo Strut
18. Frankie Franko & His Louisianians - Somebody Stole My Gal
19. Clarence Williams' Blue Five - Wild Cat Blues
20. "Jelly Roll" Morton's Red Hot Peppers - Kansas City Stomps
21. Jimmy Noone - King Joe

tribute to r. crumb's heroes of blues & jazz
(um tributo a alguns artistas do blues e do jazz usando os cartões ilustrados de Robert Crumb)



publicado por mara* às 08:59 | link do post | comentar