super black blues

super black blues original Altamente recomendado o ‘Super Black Blues’ foi gravado ao vivo no Carnegie Hall de Nova York em 1970. E é considerado um dos melhores álbuns de blues urbano já registrado. Não só a música é fantástica, mas também o reencontro de grandes músicos, tais como Big Joe Turner, T-Bone Walker, Otis Spann, George ‘Harmonica’ Smith e Ernie Watts, pela primeira e única vez, apoiados por uma seção rítmica brilhante, incluindo Ron Brown no baixo, Arthur Wright na guitarra e Paul Humphrey na bateria, fez desta gravação única. Produzido pelo renomado produtor e arranjador Bob Thiele a sessão teve lugar em Nova York, em 17 de outubro de 1969. Otis Spann, pianista de Muddy Waters antes de iniciar sua carreira solo, faleceu poucos meses depois, em abril de 1970. George ‘Harmonica’ Smith também foi o gaitista de Muddy Waters antes de começar a tocar e gravar em seu próprio nome.

Existem apenas quatro longas faixas no primeiro disco, três delas escritas por T-Bone Walker. E juntou-se o Kansas City cantado por Big Joe Turner, a guitarra do Texas de T-Bone Walker, o piano e o estilo de cantar de Chicago de Otis Spann, o som original da gaita de George Smith, e o fantástico sax tenor de Ernie Watts e temos mais de 40 minutos de um blues cru numa gravação excelente. Joe Turner e T-Bone Walker fazem a maioria dos vocais. Esta foi uma sessão muito incomum para todos os principais envolvidos. Cada um deles, Big Joe Turner, T-Bone Walker Turner e Otis Spann tinham feito os seus álbuns solo com Bob Thiele para a etiqueta ‘Bluestime’ no final dos anos 60. E cada um deles tinha sido produzido também por ele para a subsidiária ‘Bluesway’ da ‘ABC Records’ alguns anos antes.

bob thieleBob Thiele era algo como um renegado entre os produtores de discos de sua época. Talvez mais conhecido como o produtor dos clássicos de ‘John Coltrane Quartet’ pelo ‘Impulse! Records’ dos anos 60, ele também produziu várias músicas para seu próprios rótulos que remonta ao início dos anos 40. Muitas vezes criticado por isso, mais do que a maioria dos produtores, a abordagem de Bob Thiele foi reflexo de seus próprios gostos musicais, e do seu desejo de produzir apenas os artistas que ele próprio gostava o que forçou-o a criar a sua própria gravadora. Em 1969 ele criou o selo de jazz ‘Flying Dutchman’, uma mistura fascinante de transmitir e pensar a música, o rótulo combinava os sons do jazz, soul, experimentações e política negra. A ‘Bluestime’ era uma filial da ‘Flying Dutchman’ e o catálogo da época com T-Bone Walker, Joe Turner, Otis Spann, Eddie Vinson e Leon Thomas é uma evidência do grande gosto musical de Bob Thiele. E esta sessão especial foi criada para reunir os principais artistas do rótulo para uma ‘jam session’ e ouví-los tocar juntos é a glória para qualquer fã de blues. T-Bone Walker, Joe Turner, Otis Spann, de fato, um triunvirato mais distinto dentro do blues é inimaginável.

super black blues

here am I broken hearted



super black blues (1969)    super black blues (2001) vol 2

Super Black Blues (1969)    |    Super Black Blues Volume II (1970)

Super Black Blues
Personnel: Joe Turner (vocal); T-Bone Walker (vocal, guitarra); Otis Spann (vocal, piano); George ‘Harmonica’ Smith (gaita); Ron Brown (baixo); Arthur Wright (guitarra); Ernie Watts (sax tenor); Paul Humphrey (bateria)
Tracklist: 01. Paris Blues 02. Here Am I Broken Hearted 03. Jot's Blues 04. Blues Jam

Super Black Blues Volume II
Tracklist: 01. Honey Hush 02. Yakety Tak 03. Cleanhead Blues 04. I Had A Dream 05. Person To Person 06. Welcome To New York 07. Disillusion Blues 08. Damn Nam (Aint Goin To Vietnam) 09. Stormy Monday Blues 10. Sail On

publicado por mara* às 10:43 | link do post | comentar