artie shaw


artie shawArtie Shaw parecia ter tudo. No auge de sua carreira, nos anos 30 e 40, ele foi elogiado como um dos músicos mais populares, formou bandas de sucesso, chegou a ganhar US$ 30.000 por semana, e se casou com algumas das mulheres mais desejadas da América. No entanto, ele desfazia os grupos logo após formá-los, o dinheiro era desprezado e se divorciou oito vezes. E aos 44 anos, ele simplesmente abandonou a sua carreira musical. Com a sua morte, no final de 2004, foi considerado como o último gigante sobrevivente da era do swing. Nascido em New York, seu pai trabalhava como alfaiate, sua mãe era costureira, e falavam iídiche. Quando tinha sete anos de idade, sua família mudou-se para New Haven, Connecticut, onde, pela primeira vez, Arthur Jacob Arshawsky envergonhou-se por ser judeu. Criança sensível tinha uma enorme necessidade de pertencer, de tornar-se parte de uma comunidade. À uma terrível sensação de insegurança juntava-se o desejo enorme de se provar digno, revelação feita mais tarde em sua autobiografia, ‘The Trouble With Cinderella: An Outline of Identity’. Shaw argumentava que o dinheiro, o sucesso e a fama poderiam suprir seus anseios, e que poderia atingí-los como músico, primeiro como saxofonista, depois como clarinetista. Ao longo de sua vida, Shaw parecia relutante em discutir sua vida pessoal além de seus próprios pensamentos em sua autobiografia. Nem escreveu sobre seus muitos namoros, casamentos e divórcios. E se mostrava indignado e partia agressivamente para cima dos entrevistadores que queriam saber sobre seus casamentos.

Artie Shaw foi um dos principais músicos de jazz e bandleaders da era do swing. Filho único de imigrantes judeus da Rússia e da Áustria era uma criança tímida, e profundamente revoltado pelos insultos anti-semitas de seus colegas de escola e ainda mais magoado ficou quando seu pai abandonou a família. Ele começou a tocar aos 12 anos de idade. Abandonou a escola para se tornar um músico melhor e tocava diariamente por até seis ou sete horas e só parava quando os lábios e dentes doíam com a pressão constante do bocal. Shaw aprendeu que o talento de qualquer grande artista é trazido à tona pelo desejo e pela dedicação. Shaw ouviu grandes nomes do jazz como Bix Beiderbecke e Louis Armstrong, em um esforço para melhorar o seu próprio estilo. Estimulado pela necessidade de sustentar sua família quando seu pai abandonou-os, Shaw decidiu ganhar a vida tocando música comercial. No entanto, fugiu de casa aos 15 anos.

Indo para Cleveland, ele finalmente encontrou trabalho com Austin Wylie, um bandleader bem conhecido. Além da música, Shaw era um ávido leitor e mantinha aspirações literárias. Em 1928, ganhou uma viagem para Hollywood, como prêmio em um concurso de redação onde reuniu-se com alguns músicos que ele havia conhecido. Estes músicos faziam parte da banda de Irving Aaronson, e Shaw se juntou ao grupo no ano seguinte. Com Aaronson, ouviu e aprendeu sobre as obras de compositores como Igor Stravinsky e Claude Debussy. A banda passou um tempo em Chicago e depois foi para Nova York em 1930. Por conta própria, Shaw logo se tornou músico de estúdio. Em 1932 casou-se com Jane Cairns, união que mais tarde foi anulada. Shaw, então, fez uma pausa na música por um tempo, escolhendo viver na Pensilvânia, e se concentrar como escritor. Tentou um novo casamento em 1934, vindo se divorciar em 1937. E em pouco tempo, ele estava de volta à cena musical de Nova York. Sendo convidado a participar de um concerto de swing no Teatro Imperial, montou uma banda e escreveu uma composição especial, ‘Interlude in B Flat’ para o evento. Pouco conhecido na época, se apresentou entre os grandes do swing como Tommy Dorsey e outros. Sua banda, no entanto, fez uma das apresentações mais memoráveis da noite, e o público ficou impressionado com a sua única canção. Isso o levou a organizar a sua própria banda. Nessa época ele se tornou Artie Shaw. Originalmente era Art Shaw, mas foi-lhe dito que o nome soava como um espirro. Reformulando a música de Cole Porter, Richard Rodgers e Jerome Kern entre outros, Shaw conseguiu o seu primeiro grande sucesso em 1938 com a sua versão de ‘Begin the Beguine’ de Porter.

artie shaw e billie holiday    artie shaw e benny goodman

Artie Shaw e Billie Holiday (1938) | Artie Shaw e Benny Goodman (1939), New York

Shaw é notadamente um dos poucos bandleaders que integraram suas bandas, mas desistiu depois de ter encontrado o preconceito racial, especialmente no sul. Sua primeira vocalista foi uma jovem Billie Holiday. Entre os membros da banda também estavam Roy Eldridge. Billie Holiday, no entanto, ficou por tempo suficiente para gravar com a banda uma das canções mais famosas de Shaw, ‘Any Old Times’. Artie Shaw logo se cansou de toda a atenção de seus fãs, chamando-os de idiotas saiu do palco, em 1939, durante um show em Nova York e foi para o México. Depois de alguns meses, ressurgiu, voltando a cumprir as suas obrigações contratuais com a gravadora ‘RCA Victor’, fazendo sucesso com ‘Frenesi’ música que ele descobriu no México. Outros sucessos se seguiram, e Shaw logo cimentou o estatus de uma das figuras mais importantes do swing. Seu sucesso rivalizava com os outros grandes nomes da época, como Benny Goodman e Glenn Miller. Uma vez que tanto ele quanto Goodman eram clarinetistas, a rivalidade foi mais intensa entre eles. Mesmo respeitando as habilidades técnicas de Goodman, Shaw dizia que eles tinham abordagens muito diferentes para a música, acreditava que ele estava mais focado em ser inovador em vez de agradar as massas como Goodman. Qualquer que fossem as suas intenções, a música de Shaw realmente atingiu o público e como era bonito também se tornou figura constante nas colunas de fofocas com os seus romances. E foi capaz de atrair a atenção da bela atriz Lana Turner, e se casaram em 1940, e se divorciaram após vários meses juntos.

artie shaw e lana turner
Artie Shaw e Lana Turner

Artie Shaw teve duas indicações ao Oscar neste mesmo ano por seu trabalho em ‘Second Chorus’, pela trilha sonora e pela música ‘Love of My Life’. Ele escreveu a música para a canção, enquanto Johnny Mercer criou a letra. Em 1941, casou-se com Elizabeth Kern, filha do compositor Jerome Kern. Depois de Pearl Harbor, Shaw se alistou e liderou uma banda da Marinha, infelizmente não registrado, que tocava para as tropas que serviam na Segunda Guerra Mundial no Pacífico. Mantendo uma programação implacável, ele e a banda tocavam em selvas, ilhas e nos navios. Shaw ficou tão exausto que sofreu um colapso mental, recebendo alta médica em 1944. Shaw e sua quarta esposa se separaram e mais uma vez, em 1945, se casou, dessa vez com uma das mais atraentes e encantadoras atrizes de Hollywood, Ava Gardner. A união durou cerca de um ano. E rapidamente ele se envolveu com a romancista Kathleen Winsor em outro curto casamento. No final dos anos 40, Shaw continuou a experimentação com a música, com gravações clássicas, bem como peças de jazz.

artie shaw e ava gardner
Artie Shaw e Ava Gardner

Brutalmente franco, Shaw escreveu sua autobiografia que foi publicada em 1952. Ele casou-se novamente nesse ano, desta vez com a atriz Doris Dowling. Nessa altura, Shaw sentiu-se fora de sintonia com as tendências populares na música e decidiu aposentar o clarinete em 1954. E também terminou com o seu casamento não muito tempo depois. E citou inúmeras razões para a sua saída repentina da cena musical: a insensibilidade e a ignorância que ele encontrou na cena da música popular; o efeito sufocante do público por suas gravações passadas; a estagnação criativa; e seu desejo de perseguir outros interesses, como a literatura. Mel Torme, que havia tocado com Shaw, tinha uma outra idéia sobre sua aposentadoria: Artie Shaw nunca ficou, nem por um dia de sua vida confortável em ser artista. Ele odiava estar na frente das multidões, e ele adorava tocar o clarinete se pudesse em sua sala só para ele.

Seus pontos de vista raciais o atraíram para o Partido Comunista. Embora ele aparentemente nunca tenha sido um membro foi intimado a comparecer diante da Comissão de Atividades Antiamericanas, em 1953. Ele se mudou para a Europa em 1956. Dedicando-se à escrita, Shaw passou vários anos vivendo na Espanha, com sua oitava esposa, a atriz Evelyn Keyes, com quem se casou em 1957. Ele publicou uma coleção de novelas intitulada ‘I Love You, I Hate You, Drop Dead!’ na década de 60. No início dos anos 70, Shaw mudou-se para a Califórnia, onde viveu o resto de sua vida. Ele e sua esposa Evelyn já viviam separados. Na década de 80, Shaw apareceu com uma banda que ele formou para tocar suas canções e arranjos mais populares. O clarinetista Dick Johnson servia como bandleader. Além de escrever uma coleção de histórias curtas, ‘The Best of Intentios’, Artie Shaw também dava palestras sobre música e assuntos diversos. Em 2004, ele morreu em sua casa de complicações relacionadas à diabetes.

artie shaw

Begin the Beguine (1938)
(Composed by Cole Porter. Arranged by Jerry Gray)

Tracklist
01. Nightmare 02. Indian Love Call 03. Back Bay Shuffle 04. Any Old Time 05. Traffic Jam 06. Comes Love 07. What Is This Thing Called Love? 08. Begin The Beguine 09. Oh! Lady Be Good 10. Frenesi 11. Serenade To A Savage 12. Deep Purple 13. Special Delivery Stomp 14. Summit Ridge Drive 15. Temptation 16. Star Dust 17. Blues (parts I & II) 18. Moonglow 19. Moon Ray 20. The Carioca

artie shaw

The Last Recordings Rare & Unreleased (1954)
CD 1    CD 2

CD 1
01. Imagination 02. Besame Mucho 03. My Funny Valentine 04. Too Marvelous For Words 05. I Can't Get Started 06. The Sad Sack 07. Dancing On The Ceiling 08. Someone To Watch Over Me 09. Mysterioso 10. The Chaser

CD 2
01. Pied Piper Theme 02. Love Of My Life 03. Rough Ridin' 04. Yesterdays 05. Lyric 06. Bewitched, Bothered & Bewildered 07. Lugubrious 08. S'posin' 09. Tenderly 10. When The Quail Come Back To San Quentin

artie shaw

Who’s Excited (2001)
CD 1    CD 2

CD 1
01. Concerto For Clarinet (part I And II) 02. King For A Day 03. Stardust 04. Prelude In C Major 05. Chantez Les Bas (sing 'em Low) 06. What Is There To Say 07. Who's Excited 08. Confessin' (that I Love You) 09. Solid Sam 10. Take Your Shoes Off Baby (and Start Runnin' Through My 11. Mind) 12. Love Me A Little Little 13. Blues In The Night 14. Beyond The Blue Horizon 15. Deuces Wild 16. Someone's Rocking My Dreamboat 17. Rockin' Chair 18. Just Kiddin' Around 19. Carnival 20. St. James Infirmary Blues 21. Needlenose 22. Two In One Blues

CD 2
01. The Japanese Sandman 02. A Pretty Girl Is Like A Melody 03. I Used To Be Above Love 04. No Regrets 05. South Sea Island Magic 06. It Ain't Right 07. Sugar Foot Stomp 08. Thou Swell 09. You're Giving Me A Song And A Dance 10. One, Two, Button Your Shoe 11. Let's Call A Heart A Heart 12. The Skeleton In The Closet 13. There's Something In The Air 14. Take Another Guess 15. There's Frost On The Moon 16. Love And Learn 17. Moon Face 18. The Same Old Line 19. You Can Tell She Comes From Dixie

Artie Shaw with Billie Holiday - Any Old Time
(única gravação de Billie feita com Artie Shaw)



tags:
publicado por mara* às 06:46 | link do post | comentar