ABC of the blues 24: leadbelly

posts relacionados
ABC of the blues

leadbellyLead Belly ou Leadbelly (1888-1949), foi um dos criadores do blues, e figura muito influente para bandas tão variadas quanto Led Zeppelin e Nirvana. Um dos pioneiros do chamado blues rural, estilo essencialmente acústico, entre 1933 e 1940, gravou suas músicas mais conhecidas sob a tutela de John Lomax e seu filho Alan Lomax, musicólogos e folcloristas que fizeram muito para a preservação da música popular americana. Lead Belly costumava tocar violão de 12 cordas, mas também sabia tocar piano, bandolin, gaita de boca, violino e acordeão. Em algumas de suas gravações, ele toca acordeão ao invés de violão. Em outras gravações ele apenas canta batendo palmas e batendo os pés. Enquanto trabalhava nos campos de algodão, ele absorveu um vasto repertório de canções e estilos. As letras de suas músicas incluem músicas gospel, blues sobre mulheres, bebida e racismo; músicas folk sobre cowboys, prisão, trabalho, marinheiros, colheita e dança. Ele também escreveu canções sobre atualidades da época como o presidente Franklin Roosevelt; Adolf Hitler; a atriz norte-americana de cinema, que antecedeu Marilyn Monroe, Jean Harlow; The Scottsboro Boys, os nove adolescentes negros, injustamente, acusados de estupro no Alabama em 1931; e sobre o aviador, produtor de cinema, diretor cinematográfico e um dos homens mais ricos do mundo Howard Hughes.

Nascido Huddie William Ledbetter em Mooringsport, Louisiana, se interessou pela música quando tinha cinco anos de idade. Seu tio lhe deu seu primeiro instrumento, um acordeão. Leadbelly era uma criança forte, que colhia grandes quantidades de algodão, uma habilidade que lhe deu status enquanto esteve encarcerado quando adulto. Adolescente começou a tocar guitarra e cantar em bares, bordéis e salões de dança. Entre 1906 e 1908, andou através da Louisiana, ouvindo Jelly Roll Morton antes de ir para Dallas, Texas. Em 1908, sofreu uma doença grave e voltou para a casa de seus pais em Louisiana. Dois anos depois estava de volta a Dallas e tinha adquirido uma guitarra de doze cordas. Em 1912, adotou o nome Leadbelly e se apresentava com o guitarrista cego Blind Lemon Jefferson, que se tornaria o bluesman de maior sucesso comercial de seu tempo. A parceria durou cinco anos, expondo Leadbelly a uma variedade de estilos de blues.

Prisão de Angola, Louisiana

Prisão de Angola, Louisiana

Entretanto, o seu temperamento o colocaram em confronto com a lei. Em 1915 foi sentenciado a passar um tempo na 'Harrison County Jail' por carregar uma arma, prisão da qual escapou, encontrando trabalho no condado de Bowie com o nome falso de Walter Boyd. Em 1918 foi preso, desta vez por ter matado um parente em uma briga por causa de uma mulher. Ficou preso no Texas, onde aprendeu a música ‘Midnight Special’ e foi perdoado e solto depois de sete anos, tempo mínimo de sua senteça de 35 anos, depois de ter escrito uma canção ao governador Pat Morris Neff para a sua liberdade. Lead Belly influenciou a decisão de Neff apelando para sua forte fé religiosa, em combinação com seu bom comportamento que incluia entreter os guardas e os outros prisioneiros tocando violão. Logo após sua libertação, Leadbelly ouviu pela primeira vez discos de blues de Bessie Smith, do seu amigo Lemon Blind e de Big Bill Broonzy. E incorporou essas músicas em seu repertório, mas, ao contrário deles que tinham batido todos os recordes de vendagem ele não fez gravações comerciais.

leadbelly

Em 1930, Lead Belly foi preso novamente, após um julgamento em Louisiana, por tentativa de homicídio, ele tinha esfaqueado um homem branco em uma briga. Três anos depois ele foi ‘descoberto’ por John Lomax e seu filho Alan Lomax durante uma visita à ‘Angola Prison Farm’. Impressionados pela sua voz e seu imenso repertório, eles fizeram gravações para a Biblioteca do Congresso. Retornaram com um equipamento melhor em 1934, e gravaram centenas de suas músicas. No mesmo ano, Lead Belly foi solto, novamente cumprindo a sua pena mínima, desta vez devido a uma petição que Lomax fez ao governador de Louisiana, Oscar K. Allen pela soltura urgente de Lead Belly. A petição estava no outro lado de uma gravação da música ‘Goodnight Irene’ de Lead Belly. Um oficial da prisão um tempo depois escreveu à Lomax negando que a música de Lead Belly tivesse alguma coisa a ver com sua soltura da prisão de Angola, e registros da prisão confirmam que ele foi solto antes do tempo por bom comportamento. Por um tempo, de qualquer maneira, ambos, Lead Belly e Lomax, acreditaram que a gravação acelerou a decisão do governador na sua soltura. Um homem com um temperamento quente e enorme força, Lead Belly posteriormente se mudou para Nova York, onde trabalhou como motorista para John Lomax. Em seus sessenta e poucos anos, Leadbelly viveu, essencialmente, duas vidas distintas: primeiro, como um trabalhador de campo, cantor de blues, e prisioneiro no Sul rural, em segundo lugar, como um artista folksinger, sensação em clubes e colégios, para um público que veio a conhecer suas músicas e os contornos míticos de sua vida. Durante os últimos 15 anos de sua vida, fez amizade com o cantor de folk music Woody Guthrie e de música folclórica Pete Seeger. Como Guthrie, ele se apresentou em comícios políticos e sindicatos de trabalhadores e se tornou conhecido como o rei da guitarra de doze cordas.


Tracklist
01. Leadbelly - Alabama Bound
02. Leadbelly - Fort Worth and Dallas Blues
03. Leadbelly - Leavin' Blues
04. Leadbelly - Midnight Special
05. Leadbelly - T.B. Woman Blues
06. Leadbelly - New York City
07. Leadbelly - Shorty George
08. Leadbelly - John Hardy
09. Leadbelly - Bourgeois Blues
10. Leadbelly - Good Morning Blues
11. Leadbelly - Easy Rider
12. Leadbelly - Pretty Flower in Your Backyard
13. Leadbelly - Black Snake Moan
14. Leadbelly - See See Rider
15. Leadbelly - Roberta Pt. 1
16. Leadbelly - Pigmeat
17. Leadbelly - Grey Goose
18. Leadbelly - Pick a Bale of Cotton
19. Leadbelly - Where Did You Sleep Last Night?
20. Leadbelly - Death Letter Blues Pt. 1



leadbelly - midnight special


ABC of the blues volume 24
parte I    parte II



publicado por mara* às 20:37 | link do post | comentar