the ultimate jazz archive: swing to bebop 20

posts relacionados
the ultimate jazz archive: blues

the ultimate jazz archive: boogie woogie</span>
the ultimate jazz archive: swing to bebop, modern jazz
the ultimate jazz archive: big bands
the ultimate jazz archive: vocalists


earl 'fatha' hines

Earl ‘Fatha’ Hines (1903 - 1983), nascido Earl Kenneth Hines em Pittsburgh, Pensilvânia, foi compositor, líder de bandas e um dos mais importantes pianistas da história do jazz. O seu pai era cornetista, e chefe da banda ‘Pittsburgh's Eureka Brass Band’; sua mãe faleceu quando ele tinha três anos e então foi criado pela sua madrasta, que era organista numa igreja. Sua irmã Nancy e seu irmão Boots também tocavam órgão e piano, respectivamente. Inicialmente, Hines tentou seguir a carreira do pai, tocando trompete mas logo cedo o trocou pelo piano, que aprendeu a tocar com sua mãe. Teve aulas de piano, onde aprendeu os clássicos, mas sua paixão eram as músicas populares que ele ouvia nos teatros. Com quinze anos, Hines teve a sua primeira banda, um trio que incluía um violinista e um baterista. Para tocar várias vezes até tarde nos clubes noturnos, Hines deixou de estudar. Em 1922, saiu de casa para tocar com 'Lois Deppe & His Serenaders', em clube noturno. Recebia 15 dólares por semana, e duas refeições por dia. As primeiras gravações de Hines foram com esta banda, em 1923. Das quatro composições que gravou, uma era de sua autoria, ‘Congaine’, ao estilo do 'foxtrot'.

Em 1924, mudou-se para Chicago, época em que era a capital do jazz, onde tocavam Jelly Roll Morton, King Oliver e Benny Goodman. Em Chicago conheceu Louis Armstrong e, juntamente com Zutty Singleton, tocaram no ‘Sunset Café’. Em 1927, esta torna-se a banda de Louis Armstrong, e Hines o seu diretor. Armstrong apercebe-se do estilo 'avant garde' de Hine ao tocar piano como um trompete, recorrendo ao uso de oitavas para que o seu piano pudesse ser mais facilmente ouvido. Nesse mesmo ano, Armstrong renovou contrato com a gravadora, e susbtituiu no piano, a sua esposa Lil Hardin Armstrong por Hines. Em 1928, gravaram ‘Weatherbird’, o que alguns críticos consideram como um dos melhores trabalhos de jazz, um dueto de trompete e piano. A partir desse ano, Hines gravou algumas das suas principais obras. No seu 25º aniversário, Hines lidera a sua própria banda. Foi no clube de Al Capone, o ‘Grand Terrace Ballroom’, que estreou como líder de banda e, durante onze anos, a sua banda foi a principal do clube de Capone. No período que trabalhou no 'Grand Terrace', a sua banda foi a mais ouvida na rádio. E por ela passaram Nat King Cole, que o substituía no piano, Dizzy Gillespie, Sarah Vaughan e Charlie Parker, que seria despedido por chegar, habitualmente, atrasado ao trabalho. Earl Hines liderou a sua banda até 1947, e depois passou temporariamente a liderar a banda de Duke Ellington, enquanto este se encontrava doente. O tempo das grandes bandas e orquestras encontrava-se no fim.

O pós-guerra trouxe tempos difíceis e, em 1948, Earl Hines foi obrigado a terminar a sua banda. Entre 1949 e 1951, Hines e Armstrong se unem novamente na banda deste último, a ‘All Stars’. No entanto, Hines ocupava um lugar secundário, não se mostrando satisfeito. De volta à liderança, desta vez, de pequenos grupos, faz vários concertos pelos EUA e pela Europa. No início dos anos 60, Hines era um músico esquecido. No entanto, em 1964, graças ao seu amigo Stanley Dance, escritor de jazz, Hines é ‘redescoberto’ em New York. Em 1966, ficou em primeiro lugar no ‘Hall of Fame’, da revista ‘Down Beat’, que também o elegeu como o melhor pianista de jazz, em 1966, sendo eleito mais cinco vezes. No mesmo ano, Earl Hines juntou-se ao departamento do Estado dedicado ao jazz, e viajou até à Uniáo Soviética, como Embaixador da Boa-Vontade. Earl Hines morreu em Oakland, uma semana depois do seu último concerto em São Francisco aos 77 anos.



lester young

Lester Young (1909-1959) foi um homem tímido, sensível e de poucas palavras e começou sua carreira musical tocando na banda mambembe de sua família, liderada por seu pai Willis Young. Tocava violino, trompete e percussão, passando finalmente para o sax tenor aos 13 anos de idade. Nascido no Mississipi e criado em Nova Orleans, Young e sua família excursionavam pelo sul dos Estados Unidos, tendo de fugir muitas vezes da KKK. Cansado das surras do pai e dos freqüentes embates com grupos racistas, Young abandonou a familia para tocar o sax tenor. Mudou-se para Kansas City, a cidade do momento, e em 1932 juntou-se aos ‘Original Blue Devils’. Tocou na banda de Count Basie, substituindo Coleman Hawkins, e cerca de um ano mais tarde, após a dissolução dos ‘Blue Devils’, entrou definitivamente para a banda, participando de sua primeira formação. Lester Young era excêntrico em todos os aspectos, na maneira de tocar, falar, vestir e andar. Tocava o sax inclinado, quase na horizontal, e pendia a cabeça de modo a ajustar a embocadura. Usava um chapéu de feltro achatado e tinha um vocabulário todo próprio. Uma de suas melhores amigas, por toda vida, foi Billie Holliday, a quem deu o apelido de ‘Lady Day’, sendo chamado por ela ‘The President’. Com o tempo o apelido encurtou e Young era chamado pelos amigos de ‘Pres’. Dessa amizade saiu um dos mais felizes casamentos musicais do jazz: o som de seu sax era o acompanhamento perfeito para a voz de Billie Holliday. Em 1944, foi recrutado pelo exército, onde foi levado à corte marcial e encarcerado por alguns meses por uso de maconha. Quando saiu do exército estava mudado. Voltou a tocar em 1946 e excursionar com o conjunto ‘Jazz at the Philharmonic’. No começo dos anos 50, seu problema com o álcool se agravou, influenciando sua música, por vezes inconsistente, por vezes extremamente sentimental e profunda. Lester Young foi hospitalizado várias vezes por sua dependência antes de morrer em um hotel em Nova York aos 50 anos de idade. leia +...



teddy wilson

Teddy Wilson (1912 - 1986) foi um pianista, descrito como ‘o definitivo pianista de swing’. O estilo sofisticado e elegante de Wilson aparece nos registros de muitos dos maiores nomes do jazz incluindo Louis Armstrong, Lena Horne, Benny Goodman, Billie Holiday e Ella Fitzgerald. Com Goodman, ficou conhecido como o primeiro negro a tocar publicamente em um grupo racialmente integrado. Além de sua extensa obra como sideman, Wilson também tinha seus próprios grupos e fez parte de sessões de gravação dos anos 20 aos anos 80. Theodore Shaw Wilson nasceu em Austin, Texas, e estudou piano e violino no Alabama. Depois de fazer parte da banda de Lawrence ‘Speed’ Webb com Louis Armstrong, e também da ‘Hines's Grand Terrace Cafe Orchestra’ de Earl Hines, Wilson entrou para a ‘Chocolate Dandies’ de Benny Carter em 1933. Em 1935, juntou-se a Benny Goodman formando o trio que consistia de Goodman, Wilson e o baterista Gene Krupa, que depois se expandiu para o ‘Benny Goodman Quartet’, com a adição de Lionel Hampton. O trio se apresentava durante os intervalos da big band. O produtor e crítico de jazz John Hammond foi fundamental na obtenção de um contrato de Teddy Wilson com a Brunswick, a partir de 1935, para gravar canções populares da época, tendo em mente o comércio crescente de jukebox. Teddy Wilson gravou cinqüenta discos de sucesso com vários cantores, incluindo muitos dos maiores sucessos de Billie Holiday. Durante esses anos, ele também participou de muitas sessões com um vasto leque de importantes músicos como Lester Young, Roy Eldridge, Charlie Shavers, Red Norvo, Buck Clayton e Ben Webster. Wilson formou a sua própria big band em 1939, e liderou um sexteto no clube ‘Café Society’ de New York. E foi apelidado de ‘Marxist Mozart’ devido ao seu apoio a causas de esquerda; ele tocou em concertos beneficentes para o ‘The New Masses’, uma proeminente publicação marxista norte-americana; fez parte do grupo comunista ‘Russian War Relief’; e presidiu um comitê de artistas para eleger Benjamin J. Davis, um advogado afro-americano comunista, que foi eleito em 1943, para o conselho da cidade de New York, representando o Harlem, que em 1951 foi condenado por violar a Lei Smith e condenado a cinco anos de prisão. Na década de 50, Teddy Wilson lecionou na Juilliard School. E viveu tranquilamente no subúrbio de Hillsdale, Nova Jersey, onde morreu com 73 anos.



benny carter

Benny Carter (1907 - 2003) foi compositor, tocou saxofone alto, clarinete, trompete, e liderou diversas bandas. Foi uma das figuras principais do mundo do jazz desde os anos 30 até os anos 90. Nascido Bennett Lester Carter a sua juventude foi passada no Harlem, ao lado de Bubber Miley, o trompetista principal de Duke Ellington. Carter foi influenciado por Miley, o que o levou a adquir um trompete, mas logo percebeu que nunca iría tocar como Miley; assim, trocou este instrumento por um saxofone. Carter começou a tocar profissionalmente aos quinze anos. A sua primeira gravação data de 1928 e, no ano seguinte, forma a sua primeira banda. Tocou com Fletcher Henderson em 1930 e 1931, e tornou-se o seu principal arranjador. Passou temporariamente, pelo grupo ‘McKinney's Cotton Pickers’, até voltar a liderar a sua própria banda, em 1932. As poucas gravações entre 1933 e 1934, são consideradas, pelos profissionais do jazz, como marcos nos primórdios do swing. Sofisticadas, e de arranjos complexos, algumas delas tornaram-se standards, por diversas vezes interpretadas por outras bandas, ‘Blue Lou’ é um exemplo. Benny Carter foi também arranjador de Duke Ellington durante estes anos.

No início dos anos 30, Carter e Johnny Hodges, eram considerados os melhores saxofonistas. Carter tornou-se, também, um dos principais trompetistas solo, nesta década, gravando várias composições. Em 1933, fez parte de várias sessões em que participou a banda britânica liderada por Spike Hughes, vindo de New York, especificamente para organizar uma série de gravações, em que também participaram alguns dos melhores músicos negros da época. Dois anos depois, em 1935, Carter viajou para a Europa, onde se tornou o organizador da orquestra de dança da BBC, e onde fez várias gravações. Em 1938 regressou aos EUA e liderou uma big band, e um sexteto, antes de se mudar para Los Angeles, em 1943, para compor para filmes. Sendo um dos primeiros negros a escrever músicas para filmes. Foi mentor, e serviu de inspiração, nos anos 60, a Quincy Jones, quando este começou a compor para televisão e filmes. Miles Davis fez algumas das suas primeiras gravações com Benny Carter, considerando-o um mentor e amigo pessoal. Benny Carter recebeu vários doutoramentos honorários de várias universidades. Em 1987, recebeu o 'Grammy Lifetime Achievement Award', por ter sido reconhecido o seu trabalho em prol da música. Benny Carter morreu de complicações respiratórias com 95 anos.



the ultimate jazz archive 20



20-1: Earl ‘Fatha’ Hines (1934-1942)

Tracklist
01. Angry 02. Grand terrace shuffle 03. Piano man 04. G.T. stomp 05. Father steps in 06. Rosetta 07. Boogie woogie on St. Louis Blues 08. Deep forest 09. Number 19 10. Body and soul 11. Child of a disordered brain 12. Tantalizing a Cuban 13. Blues in thirds 14. Up jumped the devil 15. On the sunny side of the street 16. My melancholy baby 17. Windy City Jive 18. The Earl 19. Second balcony jump


20-2: Lester Young (1936-1944)

Tracklist
01. Shoe Shine Boy 02. I Want A Little Girl 03. Countless Blues 04. China Boy 05. Exactly Like You 06. On The Sunny Side Of The Street 07. Upright Organ Blues 08. Who? 09. Jazz Me Blues 10. Dickie's Heaven 11. Lester Leaps In 12. What's Your Number 13. Five O'Clock Whistle 14. Broadway 15. Afternoon On A Basie-Ite 16. Sometimes I'm Happy 17. Just You, Just Me 18. I Never Knew 19. Lester Leaps In 20. I Got Rhythm


20-3: Teddy Wilson (1934-1946)

Tracklist
01. Somebody Loves Me 02. I'm Painting The Town Red 03. All My Life 04. Why Do I Lie To Myself About You? 05. The Way You Look Tonight 06. Sailin' 07. I've Found A New Baby 08. Just A Mode 09. If Dreams Come True 10. I Got Rhythm 11. Jumpin' For Joy 12. Wham (Re-Bop-Boom-Bam) 13. Liza 14. 71 15. China Boy (1941) 16. Indiana 17. I Want To Be Happy 18. Rose Room 19. Just Like A Butterfly


20-4: Benny Carter (1936-1937)

Tracklist
01. Black Bottom 02. Night Fall 03. Swinging The Blues 04. Gloaming 05. Carry Me Back To Old Virginni 06. I've Got Two Lips 07. When Day Is Done 08. Jingle Bells 09. Gin And Jive 10. New Street Swing 11. There'll Be Some Changes Made 12. Nagasaki 13. There's A Small Hotel Rodgers 14. I Gotta Go 15. Bugle Call Rag 16. I'm In The Mood For Swin 17. Swingin' At Maida Vale



</span>
publicado por mara* às 19:33 | link do post | comentar