peter green

postagem relacionada
fleetwood mac

peter greenPeter Allen Greenbaum descobriu a guitarra aos dez anos, quando um de seus irmãos trouxe para casa uma velha guitarra e ensinou-lhe alguns acordes. A partir daí a guitarra tornou-se sua companheira inseparável, sendo influenciado por Hank B. Marvin do importante e bem sucedido grupo britânico ‘The Shadows’; pelos guitarristas de blues Muddy Waters e BB King, e algumas canções antigas de Israel cantadas pelos pais. Nascido em Bethnal Green, East London, Inglaterra, no ano de 1946, Peter era o caçula de quatro filhos de Joe e Ann Greenbaum. Aos quinze anos adotou o nome Peter Green e começou a tocar em várias bandas amadoras até ser convidado, em 1966, pelo tecladista Peter Bardens para tocar em sua banda ‘Peter B's Looners’. Três meses depois teve a oportunidade de ocupar, em três shows, o lugar de Eric Clapton na banda ‘John Mayall & the Bluesbreakers’ para em seguida ser contratado em tempo integral.

Peter Green fez sua estréia com o álbum ‘A Hard Road’, que apresentava duas composições suas: ‘The Same Way’ e ‘The Supernatural’. Da mesma forma que Clapton estabeleceu sua reputação de guitarrista extraordinário e que durante os shows, o público gritava enlouquecido 'Give God a solo!', surgindo assim o grafite nos muros e metrôs de Londres: ‘Clapton is God!’, Peter Green ganhou o apelido de ‘The Green God’ por suas interpretações do blues. Em 1967, Green decidiu formar sua própria banda de blues, e deixou o grupo de John Mayall depois de aparecer em apenas um álbum, assim como Clapton tinha feito. A nova banda, foi originalmente anunciada como ‘Peter Green's Fleetwood Mac’, e era composta por Mick Fleetwood e John McVie, que como Green, tinham também tocado na banda de Mayall. Green foi o líder do grupo ao longo do seu período inicial de sucesso na década de 1960, tocando blues clássicos e algum material original.

peter green

Após o lançamento do álbum ‘Albatross’ e seu conseqüente sucesso e holofotes, Peter Green mudou drasticamente com o uso e abuso de LSD, deixou a barba crescer e começou a detestar a fama e a fortuna que tinha adquirido, tornando-se extremamente religioso, aparecendo no palco usando crucifixos e túnicas esvoaçantes. Em uma turnê pela Europa, em Munique, exagerou na dose de LSD e segundo suas próprias palavras: fez uma viagem sem volta. Ao declarar que tinha tido a visão de um anjo segurando em seus braços uma criança faminta de Biafra, propôs à banda que eles só mantivessem o que era absolutamente necessário financeiramente e que o resto do dinheiro fosse dado às instituições de caridade. Confrontado com a recusa dos integrantes para doar todos os ganhos monetários, Peter Green decidiu abandonar a banda em 1970, mas não antes de escrever 'Green Manalishi’, um documento da luta para impedir a sua descida à loucura, e realizar o seu último show como membro, época em que a banda chegou ao topo das paradas tocando um rock pop. Era de Green a música ‘Black Magic Woman’, que foi posteriormente regravada por Santana. Ele ainda gravou o álbum solo ‘The End of the Game’, e durante este período vendeu sua ‘Sunburst Gibson Les Paul Standard’ para o guitarrista irlandês Gary Moore.

peter green

Sendo, logo em seguida, diagnosticado com esquizofrenia, uma doença mental comumente caracterizada por alucinações e paranóia, passou algum tempo na escuridão de hospitais psiquiátricos submetido à eletroconvulsoterapia, que o deixava letárgico e em estado de transe, para em seguida desaparecer na obscuridade e cair no esquecimento. Em 1977, foi preso por ameaçar seu contador com uma espingarda. Depois desse incidente, mais uma vez, ele foi enviado para uma instituição psiquiátrica em Londres. Ressurgiu no início de 1980 e sofreu uma recaída em 1984 e viveu a vida de um indigente, recluso durante seis anos em um manicômio, até que foi resgatado por seu irmão Len e sua esposa, indo viver com eles. A volta de Peter Green deu-se em 1990, com a banda ‘Peter Green Splinter Group’, e com o apoio dos amigos Nigel Watson, guitarrista do ‘Fleetwood Mac’ e Cozy Powell baterista que fez seu nome com várias bandas de rock importantes, dentre elas o ‘Black Sabbath’. O grupo lançou nove álbuns entre 1997 e 2004, quando Green deixou a banda e mudou-se para Suécia. Pouco tempo depois ele se juntou a ‘The British Blues All Stars’, cuja turnê em 2005 foi cancelada após a morte do saxofonista Dick Heckstall-Smith. Ao mesmo tempo, a concentração foi ficando difícil para Peter Green devido a medicação que tomava para tratar seus problemas psicológicos, o que foi minando o seu desejo de tocar uma guitarra. Com uma nova banda, a ‘Peter Green and Friends’, voltou em 2009.

peter green with john mayall's bluesbreakers - greeny


peter green - the anthology (2008)

The Anthology (2009)
CD 1    CD 2    CD 3    CD 4

Tracklist CD 1
01. Evil Woman Blues with John Mayall
02. The Stumble with John Mayall’s Bluesbreakers
03. Sitting In The Rain with John Mayall’s Bluesbreakers
04. The World Keep On Turning with Fleetwood Mac
05. The Supernatural with John Mayall’s Bluesbreakers
06. Looking For Somebody with Fleetwood Mac
07. Long Grey Mare (feat. Bob Brunning) with Fleetwood Mac
08. Stop Messin’ Around with Fleetwood Mac
09. Train Is Coming with Eddie Boyd & His Blues Band
10. Greeny with John Mayall’s Bluesbreakers
11. Soul Dressing with Peter B’s Looners
12. I Loved Another Woman with Fleetwood Mac
13. No Place To Go with Fleetwood Mac
14. You Don’t Love Me with John Mayall’s Bluesbreakers
15. Lazy Poker Blues with Fleetwood Mac
16. Merry Go Round With Fleetwood Mac
17. Trying So Hard To Forget with Duster Bennett
18. Ramblin’ Pony with Fleetwood Mac
19. Drifting with Fleetwood Mac

Tracklist CD 2
01. Black Magic Woman with Fleetwood Mac
02. Albatross with Fleetwood Mac
03. Ain’t Nobody’s Business with Otis Spann
04. Someday Baby with Otis Spann
05. Watch Out with Fleetwood Mac (Blues Jam At Chess)
06. Ooh Baby with Fleetwood Mac (Blues Jam At Chess)
07. Horton’s Boogie Woogie – Take One with Walter Horton, Otis Spann & S.P. Leary
08. Love That Burns with Fleetwood Mac
09. First Train Home with Fleetwood Mac
10. Need Your Love So Bad with Fleetwood Mac
11. Don’t Goof With The Spook with Peter Bardens
12. The Answer with Peter Bardens
13. Homage To The God Of Light with Peter Bardens
14. Oh Well Part 1 and Part 2 with Fleetwood Mac

Tracklist CD 3
01. Man Of The World with Fleetwood Mac
02. Before The Beginning with Fleetwood Mac
03. Momma Don’tcha Cry - solo
04. Underway with Fleetwood Mac
05. Rattlesnake Shake with Fleetwood Mac
06. It’s Gonna Be Me Peter Green - solo
07. White Sky (love that evil woman) with Fleetwood Mac
08. The Green Manalishi with The Two Prong Crown and Fleetwood Mac
09. Show-biz Blues with Fleetwood Mac
10. In The Skies - solo
11. Like A Hot Tomato - solo
12. Whatcha Gonna Do? - solo
13. Carry My Love - solo
14. Corners Of My Mind - solo
15. Hidden Depth (feat. Zoot Money) - solo

Tracklist CD 4
01. Big Change Is Gonna Come with Splinter Group
02. I’m A Steady Rollin’ Man (feat. Otis Rush) with Nigel Watson & Splinter Group
03. It Takes Time with Splinter Group
04. Don’t Walk Away with Splinter Group
05. Heart Of Stone with Splinter Group
06. Love In Vain Blues with Nigel Watson & Splinter Group
07. From Four Until Late (feat. Dr John) with Nigel Watson & Splinter Group
08. I’m Ready For You with Splinter Group
09. Cruel Contradictions with Dick Heckstall-Smith
10. Me And The Devil Blues with Nigel Watson & Splinter Group
11. Cross Road Blues (feat. Buddy Guy) with Nigel Watson & Splinter Group
12. Dead Shrimp Blues (feat. Hubert Sumlin) with Nigel Watson & Splinter Group
13. Travelling Riverside Blues (feat. Joe Louis Walker & Honey Boy Edwards) with Nigel Watson & Splinter Group
14. Time Keeps Slipping Away with Splinter Group
15. Look Out For Yourself with Splinter Group
16. Albatross with Chris Coco

publicado por mara* às 12:24 | link do post | comentar