terry callier

Terry CallierA sua voz aquece, sua música é para ser ouvida em frias noites solitárias. Terry Callier é guitarrista, cantor e compositor de jazz, soul e folk. Praticamente desconhecido ao longo de décadas, finalmente começou a ganhar o reconhecimento após a sua redescoberta durante o início dos anos 90. Nascido em Chicago, aprendeu a tocar piano aos três anos, começou a compor aos onze. Cresceu cantando em grupos doo-wop, um estilo musical vocal baseado no rhythm and blues e caracterizado por um backing vocal harmonioso e suave. Amigo de infância de Curtis Mayfield enquanto freqüentava a faculdade, ele aprendeu a tocar violão, e eventualmente tocava no ‘Fickle Pickle’ um café de Chicago onde chamou a atenção de Charles Stepney, arranjador da Chess Record, que produziu o single de estréia de Callier ‘Look at Me Now’ em 1962. Em 1964, conheceu o produtor Samuel Charters do selo ‘Prestige’, um ano depois eles entraram no estúdio para gravar ‘The New Folk Sound of Terry Callier’, no entanto, Charters viajou para o México com as fitas originais e o álbum só foi lançado sem alarde em 1968.

Terry Callier lançou várias obras-primas nos anos 70, mas nunca atingiu o estrelato. Destemido, continuou a ser um personagem da cena musical de Chicago e em 1970 ele e seu parceiro Larry Wade, e seu amigo de infância Jerry Butler juntaram-se para compor e gravaram para rótulos locais. O sucesso aconteceu em 1972 com a música ‘I Just Can't Help Myself’ que acabou juntando novamente Callier com Charles Stepney, agora produtor da ‘Cadet’, que rendeu o álbum ‘Occasional Rain’ em 1973, uma bela fusão de folk e jazz que lançou as bases para o álbum do ano seguinte, ‘What Color Is Love?’, uma jóia rara, um álbum fabuloso, a começar pela capa, uma guitarra acústica nos levando para o folk e uma vocalização completamente soul. Apesar das criticas favoráveis e de construir uma base de fãs dedicados, Callier não conseguiu sucesso comercial, e depois de gravar ‘I Just Can't Help Myself’ em 1975 foi demitido.

terry callier

Terry Callier ressurgiu em 1978 e finalmente conquistou as paradas de sucesso com o single ‘Sign of the Times’ e até apareceu no ‘Montreux Jazz Festival’. No entanto, depois de mais alguns anos de turnês ele praticamente desapareceu. No início dos anos 80 abandonou a música, pois, foi-lhe concedida a custódia da sua filha Sundiata de 12 anos de idade e decidiu procurar uma fonte de rendimentos mais estável. Estudou programação de computadores e em 1984 conseguiu um emprego na Universidade de Chicago. Ressurgiu das cinzas quando DJ's britânicos descobriram as suas antigas gravações, começando a tocá-las em discotecas. Terry convidado para tocar em clubes londrinos, nos seus períodos de férias no emprego, renasceu para uma geração pronta a reconhecer a sua qualidade. Posteriormente regressou às gravações publicando o álbum ‘Time Peace’ em 1998, o seu debut em uma grande gravadora depois de duas décadas com o qual ganhou o prêmio ‘Time For Peace’ atribuído pelas Nações Unidas, pela relevante contribuição artística para a paz mundial. Curiosamente, os seus colegas na Universidade de Chicago nada sabiam da vida de Callier como músico, mas após o prêmio as notícias da sua vida secreta tornaram-se conhecidas, levando-o a ser demitido pela empresa. Callier continuou a sua carreira musical.

terry caller - keep your head right


terry callier - what color is love (1973)    terry callier - Time Peace (1998)

What color is love? (1973)
Time Peace (1998)

Tracklist: What color is love? (1973)
01. Dancing Girl 02. What Color Is Love 03. You Goin' Miss Your Candyman 04. Just As Long As We're In Love 05. Ho Tsing Mee (A Song Of The Sun) 06. I'd Rather Be With Yo 07. You Don't Care

Tracklist: Time Peace (1998)
01. Ride Suite Ride (Intro) 02. Lazarus Man 03. Keep Your Heart Right 04. Aka New York Al 05. Traitor To The Race 06. C'Est La Vie 07. Java Sparrow 08. Coyote Moon09. People Get Ready / Brotherly Love 10. Love Theme From Spartacus 11. No More Blues12. Timepeace / No One Has To Tell You / Build A World Of Love

terry callier - occasional rain (1973)    terry callier - I just can't help myself (1975)

Occasional Rain (1973)
I Just Can't Help Myself (1975)

Tracklist: Occasional Rain (1973)
01. Segue #1 - Go Ahead On 02. Ordinary Joe 03. Golden Circle 04. Segue #5 - Go Ahead On 05. Trance On Sedgewick Street 06. Do You Finally Need A Friend 07. Segue #4 - Go Ahead On 08. Sweet Edie-D 09. Occasional Rain 10. Segue #2 - Go Ahead On 11. Blues For Marcus 12. Lean On Me 13. Last Segue - Go Ahead On

Tracklist: I Just Can't Help Myself (1975)
01. (I Just Can't Help Myself) I Don't Want Nobody Else 02. Brown-Eyed Lady 03. Gotta Get Closer to You 04. Satin Doll 05. Until Tomorrow 06. Alley-Wind Song 07. Can't Catch The Trane 08. Bowlin' Green

terry callier - collected (2007)    terry collier - life lessons (2006)

Collected (2007)

Life Lessons: The Best of
CD 1    CD 2

Tracklist: Collected
01. Dancing Girl 02. Love Theme From Spartacus 03. Ordinary Joe 04. What Color Is Love 05. Lean On Me 06. Trance On Sedgewick Street 07. I'd Rather Be With You 08. Browm Eyed Lady 09. Until Tomorrow 10. Satin Doll 11. Keep Your Heart Right 12. I Just Can't Help Myself I Don't Want Nobody Else 13. Sunset Boulevard 14. Love Can Do 15. Comin' Up From Babylon

Tracklist: Life Lessons: The Best of
CD 1: 01. Spin, Spin, Spin 02. 900 Miles 03. Look At Me Now 04. I’m A Drifter 05. Be My Woman [Live Chicago 1964]06. Ordinary Joe [Original Demo] 07. Can’t Catch The Trane [Original Demo] 08. Alley Wind Song [Original Demo] 09. You Goin’ Miss Your Candyman 10. Dancing Girl 11. African Violet [Live Washington DC 1982] 12. Big City [Live Washington DC 1982]
CD 2: 01. I Don’t Want To See Myself (Without You) 02. If I Could Make You (Change YOur Mind) 03. Lazarus Man 04. No More Blues 05. Monuments Of Mars 06. Darker Than A Shadow 07. Sierra Leone 08. Jazz, My Rhythm & Blues 09. Midnight Mile 10. What Colour Is Love? (Live London 2001) 11. Step Into The Night (Live London 2001) 12. People Get Ready (Live London 2001)

tags:
publicado por mara* às 10:53 | link do post | comentar