big band

big bandEmbora a maioria dos historiadores considera o ano de 1935 como o início da era das ‘Big Bands’, o tema é discutível, pois o jazz das Big Band já tinha sido gravado em 1920. Em 1917, a ‘Original Dixieland Jass Band’ gravou os primeiros discos na história do jazz. A homenagem não é concedida a esta verdadeira pioneira do gênero, pois, esses historiadores consideram esse pequeno grupo como uma simples imitação, uma banda pobre. Entretanto, as suas gravações venderam mais de um milhão de cópias e permitiram que o jazz fosse ouvido em todo o país. O jazz começou em Nova Orleans, com Oliver King, no início de 1900. O som do jazz foi difundido pelos músicos e bandas como entretenimento nos barcos que navegavam pelo Mississippi. Na década de 20 começou a migrar para um formato de big band que combinavam elementos do ragtime, spirituals, blues e música européia. Duke Ellington, Ben Pollack, Don Redman e Fletcher Henderson eram os líderes das primeiras grandes bandas. Depois vieram os bandleaders Coleman Hawkins, Benny Goodman, Glenn Miller, Red Allen, Roy Eldridge, Benny Carter e John Kirby. Enquanto esses músicos estavam tocando big band jazz, a popularidade da dance band jazz nos hotéis da década de 20 também foi um fator importante na evolução da era das Big Bands.

Big Band é um tipo de conjunto musical associado com o jazz, um estilo de música que se tornou popular durante a era do swing. O swing começou na década de 20, e a Walter Page, baixista e líder do ‘Oklahoma City Blue Devils’, é frequentemente creditado o seu desenvolvimento. Este tipo de música floresceu através dos anos 30, embora tenha havido muito pouca audiência até 1936. Até esse momento era vista com escárnio e encarada como uma curiosidade. Depois de 1935, com as Big Bands ganhou destaque e um papel importante na definição como um estilo distinto. O estilo swing dançante dos bandleaders como Benny Goodman e Count Basie foi a forma dominante de música popular americana entre 1935-1945. As Big Bands evoluíram com o tempo e continuam até hoje.

Na segunda metade do século XX, a instrumentação de 17 peças-padrão evoluiu. Esta instrumentação é composta por cinco saxofones (dois altos, dois tenores e um barítono), quatro trompetes, três ou quatro trombones além de vocalistas e seção rítmica. No caso de bandas de swing, a seção rítmica clássica compreende um quarteto de guitarra, piano, contrabaixo e bateria, um exemplo notável é a do Count Basie Orchestra com Freddie Green, Walter Page e Jo Jones. Instrumentos de percussão latinos como chocalhos, congas, pandeiros, ou triângulos podem ser adicionados. Bandas de jazz anteriores haviam utilizado o banjo no lugar da guitarra. Os termos ‘jazz band’, ‘jazz ensemble’, ‘stage band’, ‘jazz orchestra’, ‘society band’ e ‘dance band’ podem ser usados para descrever um tipo específico de Big Band. Em contraste com os grupos menores de jazz, em que a maioria da música é improvisada ou criada espontaneamente, a música tocada pelas Big Bands é arranjada, preparada com antecedência e anotada na partitura. A música é tradicionalmente chamada de 'charts'. Solos improvisados apenas podem ser tocados quando solicitado pelo arranjador.





Existem dois períodos distintos na história das bandas populares. A partir da década de 1920, as Big Bands tocavam uma forma de improvisação de jazz que incluía uma seção de cordas com violinos, que foi abandonado após a introdução do swing em 1935. No final da década de 1920, uma nova forma surgiu em que mais espaço foi dado ao improviso e ganhou popularidade na forma de dance jazz e eram destinadas a um público urbano limitado. Os três centros importantes neste desenvolvimento foram Nova York, Chicago e Kansas City. Muitas Big Bands tornaram-se um veículo para o estrelato de instrumentistas, como Louis Armstrong. E outras bandas tinham destacados instrumentistas como líderes, cujos sons dominavam, como o clarinete de Benny Goodman, Artie Shaw e Woody Herman, o trombone de Jack Teagarden, o trompete de Harry James, a bateria de Gene Krupa, e as vibrafone de Lionel Hampton. E a popularidade de muitas bandas foi amplificada por vocalistas que eram estrelas, como Frank Sinatra com Tommy Dorsey; Helen O'Connell e Bob Eberly com Jimmy Dorsey; Ella Fitzgerald com Chick Webb; Billie Holiday e Jimmy Rushing com Count Basie; Dick Haymes e Helen Forrest com Harry James; Doris Day com Les Brown; Toni Arden e Ken Curtis com Shep Fields e Peggy Lee com Benny Goodman.

As rádios em todo o país começaram a transmissão dos clubes de jazz durante as décadas de 30 a 50. O rádio foi um fator importante na obtenção de fama, como Benny Goodman, que ficou conhecido como o ‘Rei do Swing’. Em breve, outros o desafiaram, e ‘as batalhas das bandas’ tornaram-se um espetáculo. As Big Bands também começaram a aparecer no cinema em 1930 até a década de 60. Filmes biográficos de Glenn Miller, Gene Krupa, Benny Goodman e outros foram feitos na década de 50, como tributo nostálgico aos anos de glória das Big Bands. A essa altura, as Big Bands foram uma força dominante no jazz que a geração mais velha descobriu e teve que se adaptar a elas ou simplesmente se aposentar pela falta de mercado para gravações de pequenos grupos já que devido à depressão as gravadoras relutavam em assumir riscos. Alguns músicos como Louis Armstrong e Earl Hines formaram suas próprias bandas, enquanto outros, como Jelly Roll Morton e Oliver King, caíram no esquecimento. Os principais afro-americanos líderes de bandas na década de 30 além das lideradas por Ellington, Hines e Calloway, foram Jimmie Lunceford, Chick Webb e Count Basie. As bandas ‘brancas’ de Benny Goodman, Artie Shaw, Tommy Dorsey, Shep Fields e, posteriormente, Glenn Miller eclipsaram as aspirações em termos de popularidade das bandas ‘negras’.

Adolescentes brancos e adultos jovens foram os principais fãs das Big Bands no final de 1930 e início dos anos 40. Eles dançavam e assistiam os shows ao vivo sempre que podiam. Para as bandas era extenuante chegar aos seus fãs em todos os lugares. As condições de deslocamento e alojamento eram difíceis, devido à segregação na maior parte dos Estados Unidos, e os integrantes tinham que se apresentar com sono e pouca comida, além dos salários baixos. Os vícios eram comuns, além dos problemas pessoais e da discórdia entre os componentes que afetavam o grupo. E os principais solistas eram muitas vezes atraídos por melhores contratos. Sem contar com as apresentações que muitas vezes eram em coretos muito pequenos, inadequados e com pianos desafinados. E os bandleaders de sucesso tinham que lidar com esses perigos para manter a sua banda coesa, alguns com disciplina rígida como Glenn Miller, outros com uma psicologia sagaz como Duke Ellington.

As Big Bands desempenharam um papel importante durante a Segunda Guerra Mundial e muitos membros das bandas serviram nas forças armadas e viajaram como Glenn Miller que perdeu a vida numa destas viagens entre um show e outro para as tropas de soldados. Outras bandas também sofreram com a perda de pessoal e a qualidade caiu durante os anos de guerra. Até o final da guerra a situação se agravou, o swing foi dando lugar a músicas menos dançantes, incluindo o bebop. E muitas bandas quebraram. A partir de 1945, o jazz evoluiu e se expandiu em novas direções, e entre os anos de 50 e 70, outros artistas se destacaram. Bandas modernas a tocar todos os estilos de jazz como as lideradas pelo arranjador Gil Evans, o saxofonista John Coltrane e o baixista Jaco Pastorius apresentaram ‘cool jazz’, ‘free jazz’ e ‘jazz fusion’. No final de 1990, o swing voltou aos EUA e muitos jovens se interessaram pelos estilos das Big Bands. A ‘Jazz at Lincoln Center Orchestra’ com Wynton Marsalis é a orquestra que atualmente em turnês internacionais promove o som de Big Band.



count basie orchestra - lester leaps in


the best of big band (2008)

The Best Of Big Band (2008)
CD 1    CD 2    CD 3    CD 4


CD 1
01. Glenn Miller Orchestra - Chattanoogo Choo Choo
02. Benny Goodman - One O'Clock Jump
03. Duke Ellington - Honeysuckle Rose
04. Tommy Dorsey - Song Of India
05. Count Basie - Hittin' Twelve
06. Glenn Miller Orchestra - Kalamazoo
07. Duke Ellington - Tea For Two
08. Les Brown - Sentimental Journey
09. Benny Goodman - Jersey Bounce
10. Count Basie - Lester Leaps In
11. Glenn Miller Orchestra - Moonlight Cocktail
12. Artie Shaw - Cream Puff
13. Duke Ellington - Tootie For Cookie

CD 2
01. Glenn Miller Orchestra - In The Mood
02. Duke Ellington - Sophisticated Lady
03. Glenn Miller Orchestra - Johnson Rag
04. Woody Herman - Blowin' Up A Storm
05. Benny Goodman - King Porter Stomp
06. Tommy Dorsey - I Dream Of You
07. Glenn Miller Orchestra - Bugle Call Rag
08. Woody Herman - Woodchopper's Ball
09. Benny Goodman - How High The Moon
10. Benny Goodman - Stompin' At The Savoy
11. Glenn Miller Orchestra - Sunrise Serenade
12. Woody Herman - After Glow
13. Tommy Dorsey - This Love Of Mine

CD 3
01. Duke Ellington - Satin Doll
02. Glenn Miller Orchestra - Little Brown Jug
03. Count Basie - April In Paris
04. Benny Goodman - Frankie & Johnny
05. Woody Herman - Aint Misbehavin'
06. Tommy Dorsey - In A Little Spanish Town
07. Duke Ellington - Take The "A" Train
08. Duke Ellington - The Mooche
09. Glenn Miller Orchestra - American Patrol
10. Count Basie - 920: Special
11. Benny Goodman - Seven Come Eleven
12. Glenn Miller Orchestra - Tuxedo Junction

CD 4
01. Les Brown - Blue Moon
02. Benny Goodman - Stardust
03. Glenn Miller Orchestra - Pennsylvania 6-5000
04. Duke Ellington - Caravan
05. Wood Herman - Mood Indigo
06. Benny Goodman - Jumping At The Woodside
07. Count Basie - Stormy Monday Blues
08. Benny Goodman - Down South Camp Meeting
09. Glenn Miller Orchestra - String Of Pearls
10. Artie Shaw - Lambeth Walk
11. Benny Goodman - That's A Plenty
12. Glenn Miller Orchestra - Serenade In Blue



best of big bands the 40's (1996)

Best of Big Bands the 40's (1996)

Tracklist
01. Duke Dllington Orchestra - Take the "A" Train
02. Glenn Miller Orchestra with Tex Beneke - Chattanooga Choo Choo
03. Jimmy Dorsey Orchestra with Helen O'Connell e Bob Eberly - Tangerine
04. Benny Goodman Orchestra - Jersey Bounce
05. Les Brown Orchestra with Doris Day - Sentimental Journey
06. Sammy Kaye Orchestra with Billy Williams - The Old Lamplighter
07. Woody Herman Orchestra - Woodchopper's Ball
08. Kay Kyser Orchestra - The White Cliffs of Dover
09. Vaughn Monroe Orchestra - Racing With the Moon
10. Blue Barron Orchestra - Cruising Down the River
11. Art Mooney Orchestra - I'm Looking over a Four Leaf Clover
12. Harry James Orchestra with Helen Horrest - I Had the Craziest Dream
13. Eddy Howard Orchestra - For Sentimental Reasons
14. Glen Gray & The Casa Loma Orchestra - No Name Jive, Pt. 1
15. Ted Weems Orchestra with Bob Edwards e Elmo Tanner - Mickey
16. Count Basie Orchestra with Lynne Sherman - All of Me
17. Duke Dllington & His Orchestra - Sultry Sunset
18. Dizzy Gillespie Orchestra with Sarah Vaughn - Lover Man
19. Guy Lombardo & His Royal Canadians with Kenny Gardner - Anniversary Song
20. Lawrence Welk Orchestra - Bubbles in the Wine

publicado por mara* às 06:32 | link do post | comentar