eliane elias

Para quem quer despoluir os ouvidos da mediocridade que reina em solo tupiniquim, principalmente nesta época com shows ridículos promovidos pela TV Globo, ouça algo que não agrida os ouvidos e ainda por cima enriqueça a sua discoteca com música de primeiríssima qualidade, ouça as brasileiras Eliane Elias e Ithamara Koorax, outra cantora brasileira de jazz e um dos nomes mais importantes da atual cena jazzística mundial. Dizer que as duas não são conhecidas e muito menos reconhecidas no Brasil é chover no molhado.

eliane eliasUma virtuose do piano de formação clássica, que é igualmente adepta do jazz, Eliane Elias ficou conhecida no início de sua carreira como uma das poucas artistas a ter melhor venda de álbuns em ambos os gêneros ao mesmo tempo. Cantora e compositora é também conhecida por seu estilo distinto que mistura suas raízes brasileiras e o jazz clássico com voz sedutora e sensual. E é brasileira, nascida em São Paulo. Começou a estudar piano aos seis anos. Influenciada por sua mãe, pianista clássica, que muitas vezes ouvia discos de jazz, Eliane, aos doze, transcrevia solos de grandes mestres do jazz. Com quinze anos ensinava piano e improvisação em um das mais prestigiadas escolas de música. Sua carreira artística começou aqui mesmo, no Brasil, com dezessete anos, em parceria com Toquinho, cantor e compositor brasileiro e o grande poeta Vinicius de Moraes, que também foi parceiro de Antonio Carlos Jobim. Em 1981, a conselho do baixista de jazz Eddie Gomez que conheceu em uma turnê na Europa, Eliane foi para New York onde estudou na ‘Julliard School Of Music’. Em 1982 foi convidada a se juntar ao aclamado grupo ‘Steps Ahead’ do vibrafonista Mike Mainieri, que contava também com o saxofonista Michael Brecker, o baterista Peter Erskine e Eddie Gomez no baixo. Após sair do grupo, trabalhou com o trompetista Randy Brecker, com quem se casou e gravou o primeiro álbum ‘Amanda’, em 1984.

Pouco tempo depois começou carreira solo, com vários álbuns gravados e muitos premiados, quinze pela ‘Blue Note Records’ e três pela ‘RCA Victor’. Em seu trabalho Eliane Elias tem documentado dezenas de composições próprias, tocando seu piano e com belas interpretações vocais. Todas as suas gravações têm recebido elogios da crítica e em 1995, com o álbum ‘Solos and Duets’ tendo Herbie Hancock como parceiro, ela foi indicada para um Grammy de ‘Best Jazz Solo Performance’. Esta gravação foi saudada pelo ‘Musician Magazine’ como um marco na história do duo de piano. Em 1997 o álbum ‘The Three Americas’ foi eleito o melhor álbum de jazz e Eliane Elias foi indicada em cinco categorias: além de músico, melhor compositora, pianista, cantora e instrumentista do ano. Considerada uma das grandes intérpretes da música de Tom Jobim, gravou dois álbuns exclusivamente dedicados à obra do compositor: ‘Plays Jobim’ e ‘Sings Jobim’. Em 1998, ‘Sings Jobim’, ficou mais de três meses nas paradas do Japão e no ano seguinte em uma enquete foi considerado por críticos de jazz como o melhor álbum brasileiro de jazz. No mesmo ano a renomada banda dinamarquesa ‘Danish Radio Big Band’ gravou composições de Eliane, organizadas e conduzidas pelo lendário trombonista, pianista e arranjador Bob Brookmeyer. O álbum recebeu o nome de ‘Impulsive’ e recebeu uma indicação ao Grammy em 2001.

eliane elias - Barcelona Jazz Festival 2011

Barcelona Jazz Festival (2011)

No mesmo ano, ‘Calle 54’, filme documentário espanhol sobre o jazz latino e dirigido por Fernando Trueba apresentou o desempenho de Eliane Elias em ‘Samba Triste’, e também recebeu uma indicação ao Grammy de melhor álbum latino de jazz. O álbum ‘Dreamer’ de 2004 é uma mistura inovadora de músicas do cancioneiro norte-americano, brasileiro e bossa nova e nele Eliane foi acompanhada por uma orquestra completa. O álbum recebeu o ‘Gold Disc Award’ e foi eleito o melhor álbum vocal no Japão em 2004. Chegou ao 3º lugar nas paradas da França e ficou em 4º nos EUA. O álbum ‘Around the City’ de 2006 mescla bossa nova, pop, jazz latino e rock’n’roll. Misturando jazz tradicional com ritmos e harmonias brasileiras, Eliane Elias consolidou sua carreira nos EUA e é considerada uma das melhores pianistas de jazz da atualidade em vários lugares do mundo, mas é praticamente desconhecida no Brasil. Talentosa e bonita, em tempos de mediocridade musical, é bom saber que temos uma brasileira que faz enorme sucesso lá fora. E ela não rebola, e não precisa mostrar seu corpo, e nem as suas entranhas para vídeos clips, ela se sobressai por puro talento, porque sua música é refinada. Eliane Elias já há algum tempo está casada e é partner de Marc Johnson, um dos mais técnicos e elegantes baixistas da cena contemporânea.

Eliane Elias em Marselha no ano de 2009, com seu marido Marc Johnson no baixo, Rubens de La Corte na guitarra e Rafael Barata na bateria.



‘Amanda’ foi o primeiro álbum de Eliane Elias, gravado com o trompetista Randy Brecker, com quem se casou. ‘Cross Currents’ é um dos álbuns menos conhecidos de Eliane e faz parte dele o baixista Eddie Gomez e o baterista Jack DeJohnette e as canções ‘Peggy's Blue Skylight’ e ‘East Coastin’ de Charles Mingus. ‘Coming and Going’ foi escrita por sua avó em 1927 quando tinha 12 anos e nela Eliane é acompanhada pela banda pop britânica ‘Gomez’, pelo baterista Peter Erskine, o guitarrista Barry Finnerty, o percussionista Café e nove cantores, incluindo alguns membros da sua família.

eliane elias - amanda (1985)    eliane elias - cross currents (1987)

Amanda (1985)    |    Cross Currents (1987)

Amanda
01. Splash 02. Para Nada (For Nothing) 03. Pandamandium 04. Samba De Bamba 05. Amandamada 06. Guarujá

Cross Currents
01. Hallucinations 02. Cross Currents 03. Beautiful Love 04. Campari & Soda 05. One Side of You 06. Another Side of You 07. Peggy’s Blue Skylight 08. Impulsive 09. When You Wish upon a Star 10. East Coastin’ 11. Coming and Going

Em ‘Fantasia’, Eliane explora a música brasileira, com a clássica ‘The Girl From Ipanema’ e um medley de Milton Nascimento, além de várias músicas de Ivan Lins. Ela alterna baixistas e bateristas, com Eddie Gomez, Marc Johnson, Jack DeJohnette e Peter Erskine, além de Nana Vasconcelos na percussão, e o cantor Ivan Lins nos vocais. ‘Solos and Duets’ é uma mudança de ritmo para Eliane Elias. Em vez de interpretar canções brasileiras, fusion ou bop moderno, ela mostra sua técnica clássica em um conjunto de solos acústicos e mais seis duetos com um dos mestres do jazz, o pianista e compositor norte-americano Herbie Hancock.

eliane elias - fantasia (1992)    eliane elias - solos and duets (1995)

Fantasia (1992)    |    Solos and Duets (1995)

Fantasia
01. The Girl From Ipanema 02. Wave 03. Milton Nascimento Medley 04. Sabe Voce (Do You Know) 05. Bahia (Na Baixa Do Sapateiro) 06. Fantasia (To Amanda) 07. No More Blues (Chega De Saudade) 08. Ivan Lins Medley

Solos and Duets
01. Autumn Leaves 02. The Masquerade Is Over 03. The Way You Look Tonigh 04. All The Things You Are 05. Joy Spring / Have You Met Miss Jones 06. Just Enough 07. Asa Branca 08. Messages Part 1 09. Messages Part 2 10. Messages Part 3 11. Messages Part 4

Dois lados de Eliane Elias estão em ‘The Three Americas’, ela é ouvida como cantora de bossa nova, suave como deve ser, e acompanhada pelo guitarrista brasileiro Oscar Castro Neves e o flautista Dave Valentin. Em ‘Chorango’, um tango moderno, Eliane é seguida por Gil Goldstein no acordeão e pelo violinista Mark Feldman. Mas, é como pianista que Eliane se destaca, forte como pianista de post-bop jazz, um termo utilizado para designar pequenos grupos de jazz na década de 60 e que teve sua origem em múscos como John Coltrane, Miles Davis, Bill Evans, Charles Mingus e, em particular, Herbie Hancock. A evolução natural dos artistas do post-bop foi o jazz fusion, na década de 70. Wynton Marsalis e Branford Marsalis, reviveram o post-bop nos anos 80. Eliane Elias é unanimidade como pianista acústica. Embora considerada limitada por muitos ela canta com sentimento e sinceridade suficiente para fazer de ‘Sings Jobim’ um grande álbum, oferecendo jazz brasileiro.

eliane elias - the three americas (1997)    eliane elias - sings jobim (1998)

The Three Americas (1997)    |    Sings Jobim (1998)

The Three Americas
01. An Up Dawn 02. The Time Is Now 03. Caipora 04. Chorango 05. Chega De Saudade 06. Crystal And Lace 07. Brigas Nunca Mais 08. Introduction To Guarani 09. O Guarani 10. Jungle Journey 11. Missing You 12. Jumping Fox

Sings Jobim
01. Garota De Ipanema 02. Samba De Uma Nota Só 03. Só Danço Samba 04. Ela É Carioca 05. Anos Dourados 06. Desafinado 07. Falando De Amor 08. Samba Do Aviao 09. A Felicidade 10. Por Toda A Minha Vida 11. How Insensitive 12. Esquecendo Você 13. Pois É 14. Amor Em Paz 15. Modinha 16. Caminhos Cruzados

‘Dreamer’ é destinado ao público do crossover jazz, originário da década de 70 com o declínio do jazz fusion que resultou na incorporação do jazz com diversos gêneros musicais como o pop e o R&B para tornar o jazz mais comercial. Eliane se conecta com a herança pop brasileira ao cantar composições de Tom Jobim e ‘Call Me’ e ‘So Nice’ de Astrud Gilberto que se adequaram muito bem a sua voz. Em ‘Around the City’, Eliane Elias avançou mais no pop sem deixar as tradições brasileiras que sempre foram seu patrimônio.

eliane elias - dreamer (2004)    

Dreamer (2004)    |    Around the City (2006)

Dreamer
01. Call Me 02. Baubles, Bangles and Beads 03. Photograph 04. Movin' me on 05. So Nice 06. That's All 07. Tangerine 08. Dreamer 09. Time Alone 10. Doralice 11. A House Is Not a Home

Around the City
01. Running 02. Oye Como Va 03. Around The City 04. Jammin’ 05. Segredos (Secrets) 06. We’re So Good 07. Tropicalia 08. Slide Show 09. A Vizinha Do Lado (The Next Door Neighbor) 10. Save Your Love For Me 11. Chiclete Com Banana 12. Another Day 13. Segredos (part 2)

‘Something for You’ é um tributo ao pianista estadunidense Bill Evans, considerado um dos mais importantes músicos de jazz da história, sendo até hoje uma das referências do piano de jazz pós-50. O baixista Marc Johnson estava no trio de Evans de 1978 a 1980, provavelmente ao mesmo tempo em que a adolescente prodígio Eliane Elias estava em São Paulo ouvindo os discos de jazz da mãe e a transcrever nota por nota os solos de Bill Evans. E assim, neste álbum, os dois músicos, que agora estão casados, reverenciam profunda e mutuamente a música de Evans que tanto inspirou suas carreiras. Parece que dez dias antes de sua morte Evans deu a Johnson uma fita cassete com música e fragmentos de idéias que ele queria trabalhar. Quase três décadas depois, Johnson redescobriu esse tesouro e compartilhou com Eliane. Ela transcreveu e terminou duas das canções, ‘Evanesque’ e ‘Something for You’ que se tornou o título do tributo.

eliane eliasGravado em quatro dias, também contém algumas originais de Evans, além da sua favorita ‘Blue in Green’. Bem como ‘My Foolish Heart’ onde Johnson está tocando baixo como Scott LaFaro, uma jovem estrela em ascensão, que fazia parte do trio de Evans, de 1959 até sua morte em um acidente de carro em 1961, com 25 anos. Finalmente, há a participação impressionante de Bill Evans na última faixa do CD gravada diretamente do cassete histórico que começa com a introdução de Evans do que se tornaria ‘Something for You’ com uma demonstração de grande exuberância e exclamações de prazer bastante audíveis feitas por ele. Eliane Elias segue tocando depois, cantando numa reprise nostálgica que se estende para além do silêncio que se faz depois de terminada a canção. Eliane não cantou em todas as faixas, mas quando o fez com sua voz suave e sonhadora proporcionou momentos encantadores como em ‘Minha’.

‘Something for You’ foi apresentado em 2008 no ‘Dizzy's Club Coca Cola’ em New York e o público ficou agradavelmente surpreso com o grau de virtuosismo que Eliane exibiu naquela noite. Além da sua aparência: uma mulher bonita com longos cabelos loiros em um vestido preto e provocante. Com apenas 140 assentos, Dizzy é a sala mais íntima no ‘Jazz at Lincoln Center’. É também um espaço de rara beleza, com vidro do chão ao teto que revela a deslumbrante cidade abaixo. E nesta noite como testemunha a lua cheia se fez presente e aprovou a homenagem de Eliane Elias a Bill Evans.

eliane elias - something for you (2007)

Something For You (2007)
Eliane Elias Sings & Plays Bill Evans

Tracklist
01. You and The Night and The Music 02. Here's Something For You 03. A Sleepin' Bee 04. But Not For Me 05. Waltz for Debby 06. Five 07. Blue in Green 08. Detour Ahead 09. Minha (All Mine) 10. My Foolish Heart 11. But Beautiful/Here's That Rainy Day 12. I Love My Wife 13. For Nenette 14. Evanesque 15. Solar 16. After All 17. Introduction to Here's Something For You

‘Bossa Nova Stories’, o mais recente álbum do ícone do jazz brasileiro é um dos melhores em muito tempo. Para comemorar os cinqüenta anos da Bossa Nova, Eliane e seus produtores montaram uma coleção de 14 faixas com conhecidas músicas brasileiras e algumas menos conhecidas. Entre seus acompanhantes estão o cantor, instrumentista, arranjador, compositor, produtor e diretor musical brasileiro Oscar Castro-Neves como é conhecido internacionalmente, pelo baterista Paulo Braga, e pelo seu colaborador e marido, o baixista Marc Johnson. O lendário gaitista e mestre do jazz Toots Thielemans aparece em algumas faixas, principalmente em apoio ao excelente desempenho de Eliane Elias em ‘Superwoman’ de Stevie Wonder. A inclusão desta música e de versões de standards de jazz latino pode parecer um pouco estranho em uma coleção dedicada ao qüinquagésimo aniversário da Bossa Nova, mas quando o resultado é esta delícia de se ouvir, perdoa-se.

eliane elias - bossa nova stories (2008)

Bossa Nova Stories (2008)

Tracklist
01. The Girl from Ipanema 02. Chega de Saudade 03. The More I See You 04. They Can't Take That Away from Me 05. Desafinado 06. Estate (Summer) 07. Day in Day Out 08. I'm Not Alone (Who Loves You?) 09. Too Marvelous for Words 10. Superwoman 11. Falsa Baiana 12. Minha Saudade 13. A Rã (The Frog) 14. Day By Day

tags:
publicado por mara* às 10:57 | link do post | comentar