duke ellington

duke ellingtonDuke Ellington, como muitos outros, foi vitima de uma sociedade racista, de uma 'democracia' que jamais recompensava os negros, e que descaradamente punia aqueles que resistiam, desafiavam e ultrapassavam os pequenos espaços a que eram obrigados a habitar. Uma sociedade racista, que muitas vezes não admitiu elogios a Duke Ellington e os concedeu a outros compositores e músicos americanos, como George Gershwin ou Benny Goodman. Por mais de 50 anos, Ellington usou sua música para analisar as complexidades da vida dos negros americanos e para desafiar as contradições da democracia americana, contradições que, até recentemente, negou a ele até seu legítimo lugar entre os gênios da música. Entre os negros, mesmo antes do blues ser inventado, que se aperfeiçoou e evoluiu para o rock and roll, uma forma separada de música com herança étnica e geográfica semelhante estava seguindo sua própria trajetória. No final de 1800, com raízes no ragtime e no dixieland, o jazz surgiu antes mesmo de Son House e Robert Johnson terem começado a gravar. Desde o início da década de 1920 até sua morte em 1974, Duke Ellington foi um gigante do jazz.

duke ellington and his orchestra 1937Edward Kennedy Ellington nasceu em 1899, e herdou a elegância de sua mãe e autoconfiança de seu pai. Foi um dos artistas musicais mais completos, um maestro invejável, um pianista excepcional e compositor de mais de três mil músicas escritas. Recebeu o apelido de Duke (duque) de um amigo de infância, por sua pose e por sempre estar bem vestido. Teve uma infância tranqüila, seu pai era mordomo na Casa Branca e era mimado por sua mãe que o incentivou a estudar piano desde os sete anos, mas Ellington apenas demonstrou interesse pelo instrumento quando conheceu o pianista Harvey Brooks. Sua paixão era o baseball, e para ver seus ídolos, vendia amendoim nas arquibancadas. Em Washington, os pianistas Oliver "Doc" Peri e Louis Brown ensinaram o jovem Duke a ler partituras e a aprimorar a sua técnica. Começou a tocar profissionalmente em bailes com um sexteto chamado ‘The Washingtonians’, e logo foi eleito o líder da banda. Formou seu próprio conjunto em 1922, um quinteto com o baterista Sonny Greer e o saxofonista Otto Hardwicke. Eram tempos difíceis e Ellington e seus quatro músicos chegaram a dividir uma salsicha como jantar. Dirigiu orquestras e fez arranjos de obras dos grandes clássicos, como Mozart, Schubert, Bach, e Brahms. Mas o jazz foi uma constante.

Duke EllingtonMais tarde, em Nova York, o mestre do piano Fats Waller foi o seu incentivador e Ellington conheceu sons novos, diferentes do ragtime ouvido em Washington. Passou a ouvir os pianistas do Harlem, e o som melodioso e swingado de Sidney Bechet e Louis Armstrong, mas a sua formação foi a dos pianistas de ragtime, cuja influência é clara em sua primeira composição, ‘Soda Fountain Rag’, de 1914. O nome de Ellington, que já era conhecido pelas transmissões de rádio, rapidamente se tornou conhecido e assim ele conseguiu um contrato para tocar no ‘Cotton Club’. Com o sucesso contrata os melhores músicos disponíveis como Ben Webster, Jimmy Blanton, Cootie Williams, Bubber Miley, Harry Carney e Johnny Hodges. Em uma turnê pela Europa sente-se respeitado como músico e homem. De volta aos Estados Unidos, em 1939, Ellington conheceu Billy Strayhorn, que apesar das características completamente opostas, seria seu colaborador por toda a sua vida. Os concertos no Carnegie Hall foram memoráveis, em especial a suíte ‘Black, Brown and Beige’, de 1943, inspirada na história da América negra. Ellington criou o ‘jungle style’ quando os metais da orquestra tocam com força e expressão, dando um efeito de selvageria às composições. Entre suas obras destacam-se os álbuns ‘The Blanton - Webster Band’, ‘Black, Brwon and Beige’ e ‘The Duke's Men’ feitos com a colaboração de seus melhores solistas. Quando se preparava para a festa de 75 anos foi hospitalizado com câncer e seu estado de saúde se agravou, falecendo um mês depois.

Duke Ellington fez muitas gravações que nunca foram lançadas durante a sua vida. 'The Private Collection' consiste principalmente de gravações de estúdio feitas por Duke Ellington com seu próprio dinheiro e estavam guardadas em seu cofre. Após a sua morte, seu filho Mercer doou esta relíquia para a rádio dinamarquesa 'Stockpile'. Duas das melhores composições de Duke estão nesta coleção, no volume 7, e em nenhum outro lugar: ‘The Degas Suite’, trilha sonora do filme sobre o pintor e ‘The River‘, em ambas o piano de Duke é, simplesmente, impressionante. Somos também brindados com o melhor trabalho do saxofonista tenor Paul Gonsalves, ele brilha em ‘I Cover The Waterfront’, ‘In A Sentimental Mood’ e ‘Moon Mist’; e com o excelente sax alto tocado por Johnny Hodges, que retornou a banda de Duke após 5 anos de ausência, em 'Satin Doll', ‘When I'm Feeling Kinda Blue’, ‘Something Sexual’ que inclui um grupo vocal e especialmente em ‘Sophisticated Lady’ e ‘Prelude To A Kiss’ que explica por que BB King era um admirador de Johnny Hodges. Há ainda a versão de ‘Jump For Joy’, melhor do que qualquer outra versão, que apresenta o clarinete de Jimmy Hamilton que é de tirar o fôlego. Além das riquezas musicais de Harold Ashby, Shorty Baker, Willie Cook, Ray Nance, Clark Terry, e Cootie Williams.

duke ellington and his orchestra - prelude to a kiss
johnny hodges (sax alto)


duke ellington - the private collection (1999)

The Private Collection (1999)

volume 01    volume 02    volume 03      volume 04    volume 05
volume 06    volume 07    volume 08    volume 09    volume 10

Tracklist: Volume 01
01. March 19th Blues 02. Feet Bone 03. In a Sentimental Mood 04. Discontented 05. Jump for Joy 06. Just Scratchin the Surface 07. Prelude to A Kiss 08. Miss Lucy 09. Uncontrieved 10. Satin Doll 11. Do Not Disturb 12. Love You Madly 13. Short Sheet Cluster 14. Moon Mist 15. Long Time Blues

Tracklist: Volume 02
01. Things Ain't What They Used to Be 02. Something Sexual 03. The Riff 04. Bluer 05. Wailing 'Bout 06. I Cover the Waterfront 07. Blues a La Willie Cook 08. Slow Blues Ensemble 09. Circle of Fourths 10. Perdido 11. Three Trumps 12. Deep Blues 13. Things Ain't What They Used to Be (instrumental) 14. Paris Blues 15. I Got It Bad and That Ain't Good 16. Circle Blues 17. The Sky Fell Down 18. Perdido (Instrumental) 19. Passion Flower 20. Cotton Tail

Tracklist: Volume 03
01. ESP 02. Blue, Too-The Shepard 03. Tune Up 04. Take It Slow 05. Telstar 06. To Know You Is To Love You 07. Like Late 08. Major 09. Minor 10. G For Grove 11. The Lonely Ones 12. Monk's Dream 13. Frere Monk 14. Cordon Bleu 15. New Concerto For Cootie 16. September 12Th Blues

Tracklist: Volume 04
01. Bad Woman 02. Jeep's Blues 03. Stoona 04. Serenade To Sweden 05. Harmony In Harlem 06. Action In Alexandria 07. Tajm 08. Isfahan 09. Killian's Lick 10. Blouson's Noir 11. Elysee 12. Butter And Oleo 13. Got Nobody Now 14. M.G 15. Blue Rose 16. July 18th Blues

Tracklist: Volume 05
01. Countdown 02. When I'm Feeling Kinda Blue 03. El Viti 04. Draggin' Blues 05. Cottontail 06. Now Ain't It 07. The Last Go-Round 08. Moon Mist 09. Skillipoop 10. Banquet Scene (Timon of Athens) 11. Love Scene 12. Rod La Roque 13. Rhythm Section Blues 14. Lele 15. Ocht O'Clock Rock 16. Lady 17. Rondolet

Tracklist: Volume 06
01. I Can't Get Started 02. Waiting For You 03. Knuf 04. Gigl 05. Meditation 06. Sophisticated Lady 07. Just Squeeze Me 08. Mood Indigo 09. In A Sentimental Mood 10. I Let A Song (Go Out Of My Heart) 11. Reva 12. Ortseam 13. Cool And Groovy 14. Elos 15. C-Jam Blues

Tracklist: Volume 07
01. The Degas Suite 02. The River

Tracklist: Volume 08
01. Black 02. Comes Sunday 03. Light 04. West Indian Dance 05. Emancipation Celebration 06. The Blues 07. Cy Runs Rock Waltz 08. Beige 09. Sugar Hill Penthouse 10. Harlem 11. Ad Lib On Nippon

Tracklist: Volume 09
01. Main Stem 02. Dancing In The Dark 03. Stompy Jones 04. Time On My Hands 05. Stompin' At The Savoy 06. Sophisticated Lady 07. Take The A Train-Instrumental 08. All Heart 09. Just A-Settin' and A Rockin' 10. Take The A Train-Vocal 11. Where Or When 12. The Mooche 13. One O'Clock Jump 14. Autumn Leaves 15. Oh Lady Be Good 16. Things Ain'T What They Used To Be

Tracklist: Volume 10
01. Such Sweet Thunder 02. The Blues To Be There 03. Juniflip 04. The Star-Crossed Lovers 05. Together 06. California Mello 07. Suburban Beauty 08. C Jam Blues 09. Blue in Orbit 10. Mood Indigo 11. Honeysuckle Rose 12. Willow Weep For Me 13. Caravan 14. Wailing Interval

Quando Duke Ellington participou do ‘Newport Jazz Festival’ em 1956, a banda fazia shows em ringues de patinação e estava precisando revitalizar a sua imagem e trazer de volta a popularidade perdida com o surgimento do bebop, o estilo de jazz que foi desenvolvido por Charlie Parker, Dizzy Gillespie e Thelonious Monk, o hard bop, e outras correntes do jazz. ‘Ellington At Newport’ é um álbum gravado ao vivo no histórico festival que reformulou a reputação de Ellington e sua banda. ‘Diminuendo em Blue’ e ‘Crescendo in Blue’, foram desempenhadas pelo saxofonista tenor Paul Gonsalves que desmoronou de exaustão quando o solo terminou e ganhou as manchetes ao redor do mundo.

duke ellington - at newport 1956

Ellington At Newport 1956: Original Jazz Classics (2009)
CD 1    CD 2

Tracklist: CD 1
01. Star Spangled Banner 02. Introduction by Father Norman O'Connor 03. Black and Tan Fantasy 04. Introduction by Duke 05. Tea for Two 06. Duke & Band Leave Stage 07. Take the "A" Train 08. Announcement by Duke 09. Festival Junction, Pt. 1 10. Announcement by Duke 11. Blues to Be There, Pt. 2 12. Announcement by Duke 13. Newport Up, Pt. 3 14. Announcement by Duke 15. Sophisticated Lady 16. Announcement by Duke 17. Day In - Day Out 18. Introduction by Duke/Paul Gonsalves Interlude 19. Diminuendo and Crescendo in Blue 20. Announcements, Pandemonium 21. [Six Second Pause Track]

Tracklist: CD 2
01. Introduction by Duke 02. I Got It Bad (And That Ain't Good) 03. Jeep's Blues 04. Duke Calms Crowd 05. Tulip or Turnip 06. Riot Prevention 07. Skin Deep 08. Mood Indigo 09. Tuning up/Studio Concert Begins 10. Introduction by Father Norman O'Connor 11. Festival Junction, Pt. 1 12. Announcement by Duke 13. Blues to Be There, Pt. 14. Announcement by Duke 15. Newport Up, Pt. 3 16. Announcement by Duke 17. I Got It Bad (And That Ain't Good) 18. Jeep's Blues 19. [Six Second Pause Track]

Swing! The Music of Duke Ellington (1999)

Swing! The Music of Duke Ellington (1999)

Tracklist
01. Mel Tormé - I'm Gonna Go Fishin'
02. Oscar Peterson, Clark Terry, Benny Carter, Lorne Lofsky, Ray Brown & Lewis Nash - In a Mellow Tone
03. Ray Brown Trio with Ulf Wakenius - Cotton Tail
04. Ahmad Jamal Trio - Do Nothin' Till You Hear from Me
05. Mel Tormé - Rockin' in Rhythm
06. André Previn, Ray Brown & Joe Pass - I Got It Bad and That Ain't Good
07. Dave Brubeck - Things Ain't What They Used to Be
08. Joe Pass - Azure
09. Satin Doll - Oscar Peterson, Ulf Wakenius, Niels-Henning Ørsted Pederson & Martin Drew
10. Mel Tormé - It Don't Mean a Thing (If It Ain't Got That Swing)

tags:
publicado por mara* às 16:01 | link do post | comentar