elmore james

elmore jamesElmore James é considerado o rei do ‘slide guitar’ ou ‘bottleneck guitar’, forma de tocar guitarra, geralmente, utilizada no blues e no country. Atualmente, se utiliza um pequeno tubo ôco (bottleneck) de metal para alterar o tom em que se toca, deslizando esse tubo pelas cordas da guitarra. Originalmente usava-se o gargalo de uma garrafa. Elmore James desenvolveu um som distinto tocando guitarra com slide, geralmente com um pedaço de vidro ou metal, muitas vezes uma faca de bolso. Era um estilo popular de tocar violão entre muitos músicos de blues do Delta do Mississipi onde Elmore James tocava regularmente e, posteriormente, em Chicago. Ry Cooder, George Harrison, Johnny Shines, Muddy Waters ou Joe Walsh são alguns músicos que utilizam esta técnica. Há também Duane Allman dos ‘Allman Brothers Band’, grande guitarrista do slide, que costumava usar vidros de medicamentos para a prática. No Brasil, Otávio Rocha do 'Blues Etílicos' e Big Gilson do 'Big Allanbik', estão entre os melhores guitarristas de slide. Elmore James era um mago da guitarra. Sua maneira para expressar o blues fez dele um dos mais influentes da guitarra elétrica além de possuir uma das maiores vozes do blues, intensa e expressiva. Poucos cantores de blues tinham uma voz que poderia competir com ele. Infelizmente, a sua morte precoce por insuficiência cardíaca o impediu de saborear os frutos do blues nos anos 60, como seus contemporâneos, Muddy Waters e Howlin’ Wolf o fizeram. Robert Nighthawk e Earl Hooker tinham mais técnica, mas Elmore tinha o sentimento. Elmore James sempre deu tudo o que tinha e tudo o que podia investir emocionalmente em sua música. Não chegou a tocar para platéias brancas ou gravar discos com pesos pesados do rock como Eric Clapton e Johnny Winter, no entanto, deixou uma influente trilha atrás de si e seu estilo continua no tempo presente a influenciar os guitarristas que colocam um slide no dedo para tocar os lamentos do blues. Enquanto o seu trabalho teve um profundo efeito também sobre BB King e Chuck Berry.

Em meados dos anos 30, ficou conhecido por sua interpretação do clássico do blues ‘Dust My Broom’. Elmore teve Robert Johnson como companheiro que foi uma profunda influência sobre ele, não só na escolha das músicas, mas também nas suas apresentações, e a quem é geralmente creditado a composição. Há controvérsias quanto a saber se foi Robert Johnson ou Elmore quem compôs ‘Dust My Broom’, sua marca registrada. Também tocou com o gaitista Sonny Boy Williamson 2, que tocava em uma variedade de programas de rádio patrocinado por diversas patentes de medicamentos e James ocasionalmente aparecia como convidado. E foi Williamson que levou James para a sessão de gravação que gerou ‘Dust My Broom’. Inseguro e nervoso como cantor, Elmore foi gravado clandestinamente por Lillian McMurray da ‘Trumpet Records’ com Sonny Boy o acompanhando. Diz a lenda que James nem sequer ficou para ouvir a leitura, muito menos para gravar o segundo lado do disco. McMurray então convocou um cantor local Bobo ‘Slim’ Thomas para isso. ’Dust My Broom’ surpreendeu a todos, tornando-se um hit de blues nacional em 1951. O riff de guitarra de ‘Dust My Broom’ é uma das aberturas mais conhecidas do blues e muitas vezes utilizada por outros artistas e até por artistas de rock. Como resultado, James foi procurado por outra gravadora, a ‘Modern Records’ dos irmãos Bihari. E mudou-se para Chicago onde montou uma banda que ficou conhecida como ‘Broomdusters’. O grupo incluia o saxofonista J.T. Brown, o baterista Odie Payne, o pianista Little Johnny Jones e o seu primo Homesick James na guitarra. Com algumas alterações ao longo dos anos foi uma das maiores bandas de blues de Chicago. E Elmore James superou o medo de gravar, fazendo inúmeras gravações com sua banda em uma variedade de selos independentes.

elmore jamesElmore James nasceu em 1918, em uma fazenda perto da cidade de Richland no Delta do Mississipi. Sua mãe, Leola Brooks, tinha 15 anos de idade. Embora sendo filho ilegítimo, ele foi criado por sua mãe e Joe Willie James que ele pensava ser seu pai e que lhe deu o sobrenome. Como meeiros, movimentavam-se de fazenda em fazenda. E à semelhança de outros rapazes do Mississippi rural, Elmore aprendeu a tocar violão em um instrumento improvisado feito com o cabo de uma vassoura. Com 14 anos ele já era um músico nos finais de semana, mas não limitou-se a isso, e juntou-se com músicos que viajavam através do país, como Robert Johnson, Howlin’ Wolf e Sonny Boy Williamson até a segunda guerra mundial eclodir. Serviu por três anos na Marinha e quando teve alta, ficou por um bom tempo em Memphis, trabalhando em clubes. Foi nessa época que ele descobriu que tinha um problema cardíaco sério. Combinado com sua mania de beber ele acabaria por se revelar fatal. James sofreu um leve ataque cardíaco no final de 1950 e se retirou para o Mississippi. No entanto, o disc jockey ‘Big’ Bill Hill convenceu-o a voltar para Chicago para fazer alguns programas de rádio. Em seu primeiro dia James tocou em um pequeno clube de blues e foi ouvido pelo produtor discográfico Bobby Robinson. Robinson e James se reuniram no dia seguinte para uma sessão. Chovia naquele dia, e Elmore com um lápis e um bloco sentou-se perto da janela e escreveu ‘The Sky Is Crying’. Lançada em 1960 pela etiqueta ‘Fire’ de Robinson tornou-se mais um hit de sucesso. Em 1960 James estava muito doente, e sua condição parecia piorar. Na primavera de 1963, James estava em Chicago para realizar a abertura de um novo clube para ‘Big’ Bill Hill quando sofreu um ataque cardíaco fatal aos 45 anos.

O vício do álcool, ao qual ele foi apresentado em tenra idade, pode ter apressado a sua morte. O álcool matou seus colegas e amigos, apenas seu regular guitarrista, o seu primo Homesick James, manteve a longevidade por não tomar parte das sessões de bebedeira. Uma recusa que o tornou impopular com o resto da banda. Apesar de Elmore James ter gravado somente por um curto período de treze anos, e muitas de suas gravações não terem sucesso comercial, alguns de seus lançamentos se tornaram clássicos do blues. Em 1992, foi introduzido no ‘Rock and Roll Hall of Fame’ como um precursor do rock’n’roll. Embora nunca tenha tocado o gênero musical a sua música era admirada e executada por bandas de rock como os ‘Rolling Stones’ e ‘The Yardbirds’.

elmore james - I need you



Outros bluesmen da Chicago pós-Segunda Guerra Mundial são mais conhecidos, mas a obra de Elmore James mantém-se como as deles. Se ele nunca teve a técnica de Earl Hooker, ele tinha a profundidade emocional de Muddy Waters. Basta ouvir ‘I Need You’ e ‘It Hurts Me Too’. ‘The Sky Is Crying: The History of Elmore James’ contém alguns dos trabalhos mais importantes de um homem que ainda reina como o rei da guitarra slide. Qualquer guitarrista tem uma dívida com Elmore James. Os destaques do álbum incluem o seu magnífico single ‘Dust My Broom’ que Elmore interpreta com a sua assinatura, bem como a faixa-título ‘The Sky Is Crying’. Esta é uma coleção única e definitiva de Elmore James com as suas melhores e conhecidas canções executadas com a sua banda ‘Broomdusters’, que acompanhava a sua voz incrível e emocional. Os dois excelentes Box Set: ‘The Classic Early Recordings 1951-1956’ e ‘King Of The Slide Guitar’ incluem quase tudo o que foi gravado por Elmore James e suas gravações posteriores mas, ‘The Sky Is Crying: The History of Elmore James’ é o melhor disco para se começar a conhecer este grande guitarrista. Essas 21 canções, é claro, não são tudo o que você precisa saber sobre Elmore James, mas foram habilmente elaboradas e reunidas de todos os rótulos em que James gravou. Esta é apenas uma das duas ou três compilações mais fortes do blues elétrico. Artistas convidados: Big Joe Turner, Sonny Boy Williamson, Ike Turner e Willie Dixon.

The Sky Is Crying: The History of Elmore James (1993)

The Sky Is Crying (1993)
(The History of Elmore James)


Personnel: Elmore James (vocals, guitar); Big Joe Turner (vocals); Willie Johnson, Jimmy Spruill, Wayne Bennett, Eddie Taylor, Riff Ruffin (guitar); Ike Turner (guitar, piano); Homesick James (guitar, bass); Sam Myers (harmonica, drums); Sonny Boy Williamson (harmonica); J.T. Brown, Grady Jackson (tenor saxophone); Mark Easton, Paul Williams (baritone saxophone); Sonny Cohn (trumpet); Johnny Jones, Willard McDaniel, Johnny "Big Moose" Walker, Johnny Acey, Danny Moore (piano); Willie Dixon, Leonard Ware, Ransom Knowling, Jimmy Richardson, Chuck Hamilton, Sammy Lee Bully, Eddie Taylor (bass); Frock O`Dell, Henry "Sneaky Joe" Harris, Odie Payne, Red Saunders, Fred Below, Jesse Sailes, King Mose, Belton Evans, Johnny Williams (drums).

Tracklist: 01. Dust My Broom [1951] 02. The Sun Is Shining [1960] 03. Hawaiian Boogie [1953] 04. Sho' Nuff I Do [1954] 05. Please Find My Baby [1952] 06. T.V. Mama [with Joe Turner & His Blues Kings, 1953] 07. My Best Friend [1953] 08. Madison Blues [1960] 09. Cry for Me Baby [1957] 10. The Sky Is Crying [1959] 11. Sunny Land [1954] 12. I Can't Hold Out [1960] 13. Look on Yonder Wall [1961] 14. I Need You [1960] 15. Done Somebody Wrong [1960] 16. Shake Your Moneymaker [1961] 17. The 12 Year Old Boy [1957] 18. It Hurts Me Too [1957] 19. Rollin' and Tumblin' [1960] 20. Something Inside Me [1960] 21. Standing at the Crossroads [1960]

Inicialmente lançado em 1993, ‘The Classic Early Recordings 1951-1956’ é a mais completa retrospectiva do que provavelmente foi gravado no estúdio por Elmore James entre agosto de 1951 e janeiro de 1956. Além de incluir canções que não foram emitidas, sob qualquer pretexto, até depois de sua morte, existem conversas e um par de grandes sucessos nas versões originais. Além de conter um livreto de 40 páginas com ricas informações detalhadas e fotos antigas para aqueles que querem tudo de Elmore James.

Elmore James & His Broomdusters - The Classic Early Recordings 1951-1956

The Classic Early Recordings 1951-1956
(Elmore James & His Broomdusters)
CD 1    CD 2    CD 3

CD 1: Canton Crusade
01. Dust My Broom 02. Please Find My Baby (Version 1) 03. Hawaiian Boogie 04. Please Find My Baby (Version 2) 05. Hand In Hand 06. Long Tall Woman 07. Rock My Baby Right 08. One More Drink (Take 1) 09. My Baby's Gone 10. One More Drink (Take 2) 11. Lost Woman Blues (aka Please Find My Baby) (Version 3) 12. I Believe 13. I Held My Baby Last Night 14. Baby What's Wrong 15. Sinful Woman 16. Round House Boggie (aka Sax Symphonic Boggie) 17. Dumb Woman Blues 18. Sax-Only Boogie 19. Kicking The Blues Around (aka Flaming Blues) 20. I May Be Wrong 21. Sweet Little Woman

CD 2: Broomdusting In Chicago
01. Early In The Morning 02. Can't Stop Lovin' 03. Hawaiian Boogie (version 2) 04. Make A Little Love 05. My Best Friend (Take 1) 06. Make My Dreams Come True (Take 2) 07. Make My Dreams Come True (Take 3) 08. Make My Dreams Come True (Take 4) 09. Make My Dreams Come True (Take 7) 10. Strange Kinda Feeling (Take 1) 11. Strange Kinda Feeling (Take 2) 12. Strange Kinda Feeling (Take 3) 13. Strange Kinda Feeling (Take 4) 14. Strange Kinda Feeling (Take 5) 15. Strange Kinda Feeling (Take 6) 16. Dark And Dreary (Take 1) 17. Dark And Dreary (Take 2) 18. Dark And Dreary (Take 4) 19. Quarter Past Nine 20. Where Can My Baby Be (Take 1) 21. Where Can My Baby Be (Take 8) 22. Where Can My Baby Be (Take 9) 23. Please Come Back To Me (Sho' Nuff I Do) 24. Sho' Nuff I Do-Session Talk 25. Sho' Nuff I Do (Alternate Take) 26. Sho' Nuff I Do 27. 1839 Blues 28. I Got A Strange Baby 29. Canton Mississippi Breakdown

CD 3: Culver City to Crescent City
01. Standing At The Crossroads 02. Late Hours At Midnight 03. Happy Home 04. Sunny Land 05. The Way You Treat Me (aka Mean And Evil) 06. No Love In My Heart 07. Dust My Blues 08. I Was A Fool 09. Blues Before Sunrise 10. Goodbye (Baby) 11. So Mean To Me (Take 2) 12. So Mean To Me (Take 3) 13. So Mean To Me (Take 4) 14. Wild About You Baby-Chat 15. Wild About You 16. Wild About You (Baby) 17. Elmo's Shuffle (Take 3) 18. Elmo's Shuffle (Take 4) 19. Elmo's Shuffle (Take 5) 20. Long Tall Woman 21. Long Tall Woman

‘King of the Slide Guitar: The Fire/Fury/Enjoy Recordings’ é uma compilação fantástica! Reedição do original ‘King Of The Guitar Slide’ com um adicional de 14 faixas é uma verdadeira mina de ouro. Com ótimo som e algumas raridades interessantes, esses dois CDs contêm (quase) todas as músicas gravadas por Elmore James no início dos anos 60 nos rótulos Fire, Fury e Enjoy do produtor de discos Bobby Robinson. Além dos clássicos do blues, o álbum também inclui vários instrumentais. Há tantas canções excelentes aqui, que raramente ou nunca aparecem em outras compilações de Elmore James.

Elmore James - King of the Slide Guitar: The Fire/Fury/Enjoy Recordings (1992)

King of the Slide Guitar (1992)
(The Fire/Fury/Enjoy Recordings)
CD 1    CD 2

Tracklist: CD 1
01. The Sky Is Crying 02. Baby Please Set A Date 03. Held My Baby Last Night 04. Dust My Broom 05. Bobby's Rock 06. Rollin' And Tumblin' 07. Done Somebody Wrong 08. Something Inside Of Me 09. I'm Worried 10. Fine Little Mama 11. I Need You 12. Early One Morning 13. I Can't Stop Loving You 14. Strange Angel 15. She Done Moved 16. My Baby's Gone 17. Stranger Blues 18. Anna Lee 19. (My) Bleeding Heart 20. Standing At The Crossroads 21. One Way Out 22. My Kind Of Woman 23. Person To Person 24. Find My Kind Of Woman (Previously Unreleased Alternate Take) 25. Find My Kind Of Woman 26. So Unkind

Tracklist: CD 2
01. Got To Move 02. Shake Your Moneymaker 03. Look On Yonder Wall 04. Sunnyland Train 05. Mean Mistreatin' Mama 06. Go Back Home Again 07. You Know You're Wrong 08. You Know You Done Me Wrong 09. I've Got A Right To Love My Baby 10. Every Day I Have The Blues 11. Dust My Broom 12. It Hurts Me Too 13. Talk To Me Baby 14. Can't Stop Loving My Baby 15. She's Got To Go 16. Hand In Hand 17. Pickin' The Blues 18. Twelve Year Old Boy 19. I Believe 20. I Gotta Go Now 21. Up Jumped Elmore 22. Make My Dreams Come True 23. Back In Mississippi (A Conversation) 24. Blacksnake Blues

Elmore James gravou uma sessão para a ‘Chess Records’, em 1953, antes de se estabelecer na ‘Modern Records’ dos irmãos Bihari e novamente em 1960, pouco antes de iniciar suas gravações para as etiquetas Fire, Fury e Enjoy do produtor de discos afro-americano Bobby Robinson. O álbum ‘Whose Muddy Shoes’ gravado para a 'Chess' reuniu Elmore James com o guitarrista e gaitista John Brim que compôs e gravou ‘Ice Cream Man’ sucesso na voz de David Lee Roth no primeiro álbum do ‘Van Halen’. Inicialmente cada qual iria gravar o seu próprio álbum, mas a gravadora reuniu os dois em um mesmo disco, cada um participando nas canções do outro. A sessão produziu composições clássicas de Elmore como ‘Talk to Me Baby’, ‘Madison Blues’ e ‘Stormy Monday’ uma leitura poderosa que ele faz de T-Bone Walke. ‘The Sun Is Shining’, pode ser interpretada como a precursora para o posterior hit de grande sucesso ‘The Sky Is Crying’ de Elmore. ‘Rattlesnake’, ‘Be Careful’ e ‘You Got Me’, composições de John Brim, são interpretadas por ele acompanhado pelo grande gaitista Little Walter que em alguns momentos canta de improviso. ‘Whose Muddy Shoes’ é um álbum que a equipe de produção da Chess deliciosamente concretizou com algumas das melhores músicas de Elmore James e do subestimado guitarrista John Brim.

Elmore James & John Brim - Whose Muddy Shoes (1969)

Whose Muddy Shoes (1969)
(Elmore James & John Brim)

Tracklist
01. Ice Cream Man 02. Whose Muddy Shoes 03. Madison Blues 04. I See My Baby 05. You Got Me 06. My Best Friend 07. The Sun Is Shining 08. Lifetime Baby 09. Talk to Me Baby 10. Rattlesnake 11. Be Careful 12. Dust My Broom 13. Tool Bag Boogie 14. Tough Times 15. Stormy Monday

tags:
publicado por mara* às 19:50 | link do post