velvet goldmine

‘Glam rock’, também conhecido como glitter rock, é um estilo de música e subgênero do rock que foi criado na Inglaterra e se desenvolveu na década de 70. O figurino era composto por roupas, maquiagem, cílios postiços e penteados extravagantes, botas com solado plataforma, lantejoulas, paetês e brilho, muito brilho. E as músicas esbanjavam energia sexual. Nos EUA, o glam rock foi apenas difundido nas cidades de Nova Iorque e Los Angeles. O glam é mais conhecido por suas representações sexuais e de gênero e a ambiguidade da androginia, tudo temperado com muita teatralidade. As origens do glam rock estão associadas a Marc Bolan, do T. Rex. A partir de 1971, David Bowie desenvolveu sua persona Ziggy Stardust e foi a grande estrela internacional do estilo.

Velvet GoldmineO cult ‘Velvet Goldmine’, de 1998, do diretor Todd Haynes, é a androginia do glam rock em sua forma mais glamourosa. E claramente não é um filme para todos. Não é para homofóbicos. O filme é uma fantasia bonita e dolorosa ao mesmo tempo. É um filme feito de começos, fins e recomeços. Baseado nos rumores do romance entre Iggy Pop e David Bowie nos anos 70 é a história da vida, morte e ressurreição de um ídolo do glam rock chamado Brian Slade, interpretado por Jonathan Rhys-Meyers. Brian Slade inicia sua carreira como um ingênuo cantor e compositor com algumas idéias interessantes e incomuns, mas a sua criatividade é sufocada quando a máquina de marketing do seu empresário Jerry Divine assume as diretrizes de sua carreira. Slade tinha criado um alter-ego de si mesmo chamado Maxwell Demon, como Bowie criou Ziggy Stardust. E o personagem quase eclipsa o próprio Slade.

Finalmente, o exterior pré-fabricado é tudo o que sobrou dele. Depois de simular a sua própria morte no palco, os fãs se revoltam, e o cantor mergulha em drogas e na obscuridade. Sua história é contada em flashbacks, quando uma década mais tarde, o jornalista Arthur Stuart interpretado por Christian Bale é designado para investigar essa lenda do glam rock. Arthur Stuart não é também um mero espectador de todos estes acontecimentos. O desdobramento da história revela que ele era um grande fã de Slade, e através das entrevistas é inundado por lembranças de sua conturbada adolescência onde fez da música uma válvula de escape. Ao escavar o passado de Slade, ele também libera os seus próprios demônios. ‘Velvet Goldmine’ evoca uma variedade desconcertante de memórias.

Bowie, Iggy Pop and Lou ReedBrian Slade é casado com Mandy, inspirada em Angela, a primeira mulher de David Bowie, mas tem um caso com uma estrela do rock chamado Curt Wild. O ator Ewan McGregor como Curt Wild é a transcrição mal disfarçada de Iggy Pop. Alguns detalhes também evocam Lou Reed e Mick Jagger. Quem conhece um pouco da história e boatos destes anos, ao assistir ‘Velvet Goldmine’ sabe quem está por trás de cada personagem. Há muitas referências, como algumas frases sugeridas. A cena em que Curt e Brian são descobertos juntos na cama sugere o que aconteceu quando Angie encontrou David Bowie com Mick Jagger, o que resultou em divórcio. Além de focar o movimento glam, o filme é também sobre a aceitação da homossexualidade, no sentido de enfrentar e assumir a própria sexualidade.

Lou Reed, Mick Jagger & David BowieBrian Slade inspirado em David Bowie recita Oscar Wilde, um dos ícones gays mais marcantes. E o filme começa em Dublin com o nascimento do próprio Oscar Wilde, que mais tarde em idade avançada diz: eu quero ser um ídolo pop. Talvez um início destinado a estabelecer uma ligação entre Wilde e a geração crossdressing de Bowie e artistas performáticos que provocaram o público com sua bissexualidade aparente. E não se consegue encontrar falhas em um único ator. Toni Colette como Mandy Slade é uma maravilha, passando de menina ingênua para a esposa de um cínico e cansado roqueiro. Ela é engraçada e sutil ao sugerir um amor profundo e verdadeiro por Brian, apesar da dor da traição, quando ele termina o romance. De todos os personagens, Mandy parece ser a única que realmente amava o circo selvagem do glam rock. Mas, o filme pertence a Jonathan Rhys-Meyers. Como Brian ‘Bowie’ Slade ele é nada menos do que fascinante. Ele é magnético, assim como o próprio Bowie, é impossível tirar os olhos dele. A semelhança física recebeu todos os pequenos detalhes: as expressões, a postura, a linguagem do corpo. Mesmo a sua voz esganiçada evoca o Bowie jovem. Os trajes e a iluminação criam um mundo fantástico e ‘McCarren Park Pool’, um local conhecido por sua boa música fornece o cenário perfeito.

'Uma vez, não há muito tempo, os filhos de uma revolução olharam para o céu. E aí, pairando no meio de uma avenida de estrelas, tiveram uma visão do futuro, estranho e fascinante como qualquer sonho. O que eles viram na noite, ninguém pode dizer. Mas o que eles ouviram ainda pode ser ouvido hoje.'

Velvet GoldmineVelvet GoldmineVelvet Goldmine

Outra força de ‘Velvet Goldmine’ é a sua música, que consiste em músicas clássicas da época, bem como canções escritas especificamente para o filme combinando perfeitamente com as imagens visuais. Michael Stipe, do R.E.M., foi o produtor da trilha sonora. ‘Velvet Goldmine’ é também o título de uma canção de David Bowie, editada em 1975 no lado B de um disco contra a sua vontade. A trilha sonora conta com grandes bandas e músicos, mas nota-se a falta de David Bowie. Ele se recusou a ceder músicas de sua autoria para o filme. E o que poucos sabem: a presença do ‘Wylde Rattz’, composto por alguns renomados e respeitados nomes do punk rock como os guitarristas Ron Asheton (The Stooges), Thurston Moore (Sonic Youth), Don Fleming (Gumball), o baixista Mike Watt (Minutemen), o baterista Steve Shelley ( Sonic Youth ), e o vocalista Mark Arm (Mudhoney). O grupo inicialmente se reuniu em 1998, quando foi convidado pelo cineasta Todd Haynes para interpretar o clássico ‘TV Eye’ dos Stooges para o filme. O disco conta também com a participação do ‘Placebo’ cantando ‘20th Century Boy’, o hino do glam rock. Uma ótima coletânea de clássicos do glam rock.

placebo - 20th century boy


soundtrack - velvet goldmine (1998)

Velvet Goldmine: Original Motion Picture Soundtrack (1998)

Tracklist
01. Brian Eno - Needles in the Camel's Eye
02. Shudder to Think - Hot One
03. Placebo - 20th Century Boy
04. 2HB - Venus in Furs
05. T.V. Eye - Wylde Ratttz
06. Ballad of Maxwell Demon - Shudder To Think
07. The Whole Shebang - Grant Lee Buffalo
08. Ladytron - Venus in Furs
09. We Are the Boyz - Pulp
10. Virginia Plain - Roxy Music
11. Personality Crisis - Teenage Fanclub
12. Satellite of Love - Lou Reed
13. Diamond Meadows - T Rex
14. Bitter's End - Paul Kimble, Andy Mackay
15. Baby's on Fire - Venus in Furs
16. Bitter-Sweet - Venus in Furs
17. Velvet Spacetime - Carter Burwell
18. Tumbling Down - Venus In Furs
19. Make Me Smile (Come up and See Me) - Steve Harley

publicado por mara* às 21:08 | link do post | comentar