ABC of the blues 03: bobby ‘blue’ bland & charles brown

posts relacionados
ABC of the blues

Bobby ‘Blue’ BlandBobby ‘Blue’ Bland (1930), nascido como Robert Calvin Bland, é um cantor de blues e soul. Uma das figuras seminais da música popular do pós II Guerra Mundial, seu suave e aveludado estilo vocal e cativantes apresentações ao vivo ajudaram a levar o blues do Delta para teatros e clubes urbanos. Bland, junto com seu amigo de longa data, BB King, e outros membros do grupo que se chamou ‘Beale Streeters’ forjaram um novo estilo de blues eletrificado, em Memphis, Tennessee, em 1950. O nome do grupo é referência a Beale Street, uma rua no centro de Memphis, Tennessee, hoje um local significativo na história da cidade, bem como na história do blues, por onde andavam Bobby ‘Blue’ Bland e seus amigos de Memphis em 1951. Por vezes chamado de ‘Lion of the Blues', junto com artistas como Sam Cooke, Ray Charles e Junior Parker desenvolveu um som que mistura gospel com blues e R & B. Bobby ‘Blue’ Bland nasceu na pequena cidade de Rosemark, Tennessee. Depois de se mudar para Memphis com sua mãe, começou a cantar com grupos evangélicos locais. A mãe de Robert acreditava que seu filho tinha talento suficiente para perseguir uma carreira na música, então ela levou a família para Memphis, em 1945, onde haveria mais oportunidades para o jovem cantor. Ansioso para expandir seus interesses, ele começou a frequentar a famosa rua da cidade. Trabalhou na lanchonete ‘Sterling Grill’, e para Little Junior Parker, inicialmente como motorista, a mesma função que ele teria desempenhado para B.B. King e Rosco Gordon. Ao mesmo tempo, Bland começou a firmar o seu estilo vocal característico, melódico e aveludado.

O produtor musical Sam Phillips ouviu Bland em uma transmissão de rádio e gravou com ele pela primeira vez ele em 1951, juntamente com Rosco Gordon, em seus serviços de gravação recém-abertos em Memphis. Mais tarde, Sam Phillips ficou famoso por ter descoberto o rei do rock Elvis Presley. Essas gravações de Bland não tiveram nenhum progresso e sua carreira solo foi interrompida por um período em que ele esteve no Exército dos EUA. Quando voltou para Memphis em 1954 ele encontrou vários de seus ex-parceiros, incluindo Johnny Ace, desfrutando de um sucesso considerável. O primeiro grande hit, ‘Farther Up the Road’, aconteceu em 1957, e Bland continuou com um sucesso consistente, hit após hit, colocou mais canções nas paradas de R & B ao longo dos anos 60. No entanto, Bland não era muito conhecido fora da comunidade afro-americana apesar das dezenas de canções de sucesso. Pressões financeiras forçaram o cantor a se desfazer de sua banda de turnê e em 1968 o grupo se separou. Bland passou a sofrer de depressão e se tornou cada vez mais dependente do álcool. Ele parou de beber em 1971 e transferiu-se para outra gravadora. Isto resultou em vários álbuns, ‘His California Album’ e ‘Dreamer’, foram aclamados pela crítica. A primeira faixa de ‘Dreamer’, ‘Ain't No Love In Heart Of The City’, foi um grande sucesso. Mais tarde, viria à tona novamente em 1978 pela banda de hard rock ‘Whitesnake’ com o vocalista David Coverdale. O cantor e compositor irlandês Van Morrison era fã de Bland, ele gravou ‘Ain't Nothing You Can't Do’ em 1974 no álbum ‘It's Too Late to Stop Now’ e na ocasião tinha Bland como cantor convidado em seus concertos. Em 1985, Bland assinou contrato com a ‘Malaco Records’, especialista em música tradicional do sul, para quem fez uma série de álbuns, enquanto continuou a viajar e aparecer em shows de blues com BB King, além de aparições em festivais de blues e soul em todo o mundo apesar de ocasionais problemas de saúde relacionados com a idade. leia +...

Charles BrownCharles Brown (1922 - 1999), nascido no Texas foi cantor e pianista que influenciou o desenvolvimento do blues durante os anos 40 e 50. No final de 1940, um interesse crescente pelo blues foi impulsionado por um aumento da platéia de adolescentes brancos no Sul que rapidamente se espalhou para o norte e oeste. E o blues estava começando a ter muita influência conduzida por artistas como T-Bone Walker, Amos Milburn e Charles Brown que tinha um estilo mais leve, mais descontraído e que havia trabalhado com bandas e combos que continham seções de saxofone. Quando criança, Brown demonstrou seu amor pela música e teve aulas de piano clássico. Logo mudou-se para Los Angeles, onde o grande afluxo de negros criou uma cena musical noturna. Os clubes com vocais acompanhados pelo piano tornou-se popular, simbolizados pelo piano jazz de Nat King Cole. Quando Cole saiu de Los Angeles, para se projetar nacionalmente, seu lugar foi tomado por ‘Johnny Moore's Three Blazers', com o vocal e piano suave de Charles Brown. Em 1946, eles tiveram sucesso com ‘Driftin 'Blues’. Embora Brown fosse a atração do grupo, Johnny Moore recusou-se a permitir-lhe crédito nas gravações. O grupo seguiu fazendo sucesso com uma série de outros grandes hits. Em 1948, frustrado pela falta de reconhecimento e recompensa financeira, Brown deixou o grupo para uma carreira solo de sucesso. Assinou com a ‘Aladdin Records’ e sua gravação de 1945, ‘Blues Driftin’, com um pequeno combo colocou-o na vanguarda de uma evolução musical. Seu estilo dominou o influente sul da Califórnia e ele influenciou artistas como Floyd Dixon, Cecil Gant, Ivory Joe Hunter, Percy Mayfield, Johnny Ace e Ray Charles. ’Blues Driftin’ foi o primeiro de vários hits. Brown posteriormente lançou ‘Get Yourself Another Fool’, ‘Black Night’, ‘Hard Times’ e ‘Trouble Blues’, grandes sucessos nos anos 50. Embora não fosse capaz de competir com a crescente popularidade do rock and roll, ele conseguiu manter um público pequeno e dedicado. Além disso, suas canções foram apreciadas por John Lee Hooker e Fulson Lowell. Mesmo assim, não foi possível sobreviver à transição e ele desapareceu da ribalta nacional. Sua ‘Please Come Home for Christmas', sucesso em 1960, permaneceu sazonalmente popular e Brown foi premiado com um disco de ouro. Na década de 80 ele fez uma série de aparições no clube ‘Tramps’ de Nova York. Como resultado dessas aparições, ele assinou um contrato com uma nova etiqueta e gravou ‘One More for the Road’ em três dias e a cantora Bonnie Raitt ajudou no seu retorno às turnês. Sob a direção musical do guitarrista Danny Caron, o sucesso por ele alcançado foi maior desde a década de 50. Vários gravações suas receberam indicações ao Grammy. Charkes Brown morreu de insuficiência cardíaca aos 76 anos.


Tracklist
01. Bobby "Blue" Bland - It's My Life, Baby
02. Bobby "Blue" Bland - Honey Bee
03. Bobby "Blue" Bland - Lost Lover Blues
04. Bobby "Blue" Bland - Time Out
05. Bobby "Blue" Bland - Million Miles from Nowhere
06. Bobby "Blue" Bland - You've Got Bad Intentions
07. Bobby "Blue" Bland - I Don't Believe
08. Bobby "Blue" Bland - You Did Me Wrong
09. Bobby "Blue" Bland - Last Night
10. Bobby "Blue" Bland - Wise Man's Blues
11. Charles Brown - Driftin' Blues
12. Charles Brown - Trouble Blues
13. Charles Brown - In the Evening When the Sun Goes Down
14. Charles Brown - Get Yourself Another Fool
15. Charles Brown - Black Night
16. Charles Brown - Hard Times
17. Charles Brown - Cryin' Mercy
18. Charles Brown - Evening Shadows
19. Charles Brown - Fool's Paradise
20. Charles Brown - Merry Christmas, Baby



ABC of the blues volume 03
volume 03


publicado por mara* às 00:02 | link do post | comentar