ABC of the blues 04: clarence gatemouth brown & blue lu barke

posts relacionados
ABC of the blues

Clarence Gatemouth BrownClarence ‘Gatemouth’ Brown (1924 - 2005) foi um músico de Louisiana e Texas. Eclético cujos interesses abrangeram praticamente todos os gêneros imagináveis desde jazz, cajun music e R&B é mais conhecido por seu trabalho no blues. Brown aprendeu o valor da versatilidade enquanto crescia em Orange, Texas. Seu pai era um músico popular especializado em cajun e bluegrass, mas não blues. Mais tarde, Brown foi hipnotizado pelas big bands de Count Basie, Lionel Hampton e Duke Ellington. Clarence foi um aclamado multi-instrumentista, que tocou uma série de instrumentos musicais, como violão, violino, bandolim, viola, bem como gaita e bateria. E é considerado como um dos mais importantes expoentes da rabeca e violino no blues. Suas duas maiores influências musicais foram Louis Jordan e T-Bone Walker. Nascido em Vinton, Louisiana, Brown foi criado em Orange, Texas. Sua carreira musical profissional começou em 1945, tocando bateria em San Antonio, Texas. Sua carreira foi impulsionada enquanto assistia a um concerto em 1947 de T-Bone Walker no clube de Don Robey. Quando Walker ficou doente, Brown o substituiu na guitarra e rapidamente compôs e tocou ‘Gatemouth Boogie’, para o deleite do público. Em 1949, Don Robey fundou a ‘Peacock Records’ a fim de mostrar o trabalho de Brown e sua virtuosa guitarra. ‘Mary Is Fine’ e ‘My Time Is Expensive’ foram um sucesso para a gravadora, mas uma seqüência de lançamentos em 1950 foram menos sucedidos comercialmente, mas ainda assim pioneiras musicalmente. Particularmente ‘Okie Dokie Stomp’ de 1951 com notáveis solos de Brown.

Clarence Gatemouth Brown

Na década de 60, Brown se mudou para Nashville, Tennessee, para participar de um programa de televisão, e enquanto ele estava lá gravou diversos singles. No início dos anos 70, vários países da Europa tinham desenvolvido admiração pela música de raiz norte-americana, especialmente pelo blues, e Brown era um artista popular e bem respeitado por lá. Ele excursionou várias vezes ao longo da década de 70 e também se tornou embaixador oficial para a divulgação da música norte-americana, e participou de várias turnês patrocinadas pelo Departamento de Estado dos EUA, incluindo uma extensa turnê na África Oriental. Em 1973 participou do Festival de Jazz de Montreux, onde tocou com a banda de rock blues 'Canned Heat'. Em 1974, gravou como sideman com o pianista de New Orleans, Professor Longhair, em seu álbum, ‘Rock 'N' Roll Gumbo’. No final da década de 70, Clarence 'Gatemouth' Brown se mudou para Nova Orleans. Na década de 80, uma série de lançamentos pelas ‘Rounder Records’ e ‘Alligator Records’ revitalizaram sua carreira nos EUA, e ele fez várias turnês internacionais. Em 1982 foi premiado com um Grammy com o álbum ‘Alright Again!’ e foi nomeado para mais cinco. E também foi premiado com oito prêmios ‘W. C. Handy Awards’. Em 1997, ele foi homenageado pela ‘Rhythm and Blues Foundation’, e em 1999 foi introduzido no ‘Blues Hall of Fame’. Em seus últimos anos, manteve uma agenda de shows cheia. Seu registro final ‘Timeless’, foi lançado em 2004, ano em que foi diagnosticado com câncer de pulmão. Já sofrendo de enfisema e doenças do coração, ele e seus médicos decidiram abandonar o tratamento. Mais tarde, sua casa foi destruída pelo furacão Katrina em 2005, e ele foi levado para a sua cidade natal, Orange, Texas, onde morreu com 81 anos. A inundação causada pelo furacão Ike, em 2008, danificou sua sepultura.

Blue Lu BarkerBlue Lu Barker (1913 - 1998) nasceu, cresceu e foi enterrada em Nova Orleans; seu funeral seguiu as tradições da cidade: as ‘brass bands’, um grupo musical em geral, constituído exclusivamente por instrumentos de metal, para o conforto das famílias, tocaram durante o funeral. O ‘jazz funeral’ começa sombrio. Em seu caminho para o cemitério, a banda de metais executa tristes hinos fúnebres chamados ‘lamúrias’. ‘Nearer My God to Thee’ é a escolha mais popular, mas pode ser qualquer outra música que lembre aos enlutados os altos e baixos da vida. Este tom sombrio dura até que a procissão resolve mandar o carro fúnebre para o destino final, o cemitério. É neste ponto que a banda de repente passa a tocar ‘When the Saints Go Marching In’ ou ‘Didn’t He Ramble,’ ou talvez ‘Lil Liza Jane’. E os próprios enlutados, parentes e carpideiras, dançam com abandono selvagem. Eles vão freqüentemente enfeitados com guarda-chuvas, e os transeuntes são convidados, com sorrisos e alegria, a participarem da comemoração. Este funeral remonta a antigas tradições africanas dos iorubás da África Ocidental. Uma crença de que a vida acabou neste mundo, mas um espírito corre livre e solto e aqueles que vivem em luto podem deleitar-se com o conhecimento de que seu parente ou velho amigo estará dançando do outro lado com o coração cheio de alegria.

Para Billie Holiday, Blue Lu Barker foi a sua maior influência. Nos anos 30 e 40, ela foi uma das artistas de blues mais populares, muitas vezes aparecendo ao lado de artistas como Cab Calloway e Jelly Roll Morton. Às vezes era com o seu marido, o músico Danny Barker. As gravações mais famosas de Barker foram feitas em 1938, ‘Don't You Feel My Leg’ foi uma música que parecia encorajar a promiscuidade, sempre um bom negócio para a indústria da música. A composição foi popular mais uma vez na década de 80 com Maria Muldaur. Blue Lu Barker nasceu como Louisa Dupont Barker e seu pai tinha um supermercado e salão de bilhar, lucrando durante a lei seca com um estoque de licor. Aos 13 anos, ela deixou a escola e se casou com Danny Barker. Em 1930, o casal se mudou para Nova York, e viveu uma variedade de situações. O casal foi contratado pela ‘Decca’ nos anos 30 e pela ‘Apollo’ na década seguinte. Uma das sessões do casal por essa gravadora contou com o poderoso Charlie Parker. Blue Lu Barker foi introduzida no ‘Louisiana Blues Hall of Fame’ em 1997, um ano antes de morrer.


Tracklist
01. Clarence "Gatemouth" Brown - Midnight Hour
02. Clarence "Gatemouth" Brown - Ain't That Dandy
03. Clarence "Gatemouth" Brown - Dirty Work at the Crossroads
04. Clarence "Gatemouth" Brown - Hurry Back Good News
05. Clarence "Gatemouth" Brown - Okie Dokie Stomp
06. Clarence "Gatemouth" Brown - Sad Hour
07. Clarence "Gatemouth" Brown - Gate's Salty Blues
08. Clarence "Gatemouth" Brown - Just Before Dawn
09. Clarence "Gatemouth" Brown - Depression Blues
10. Clarence "Gatemouth" Brown - For Now So Long
11. Blue Lu Barker - Trombone Man Blues
12. Blue Lu Barker - Here's a Little Girl
13. Blue Lu Barker - A Little Bird Told Me
14. Blue Lu Barker - What Did You Do to Me?
15. Blue Lu Barker - Leave My Man Alone
16. Blue Lu Barker - Now You're Down in the Alley
17. Blue Lu Barker - When the Wagon Comes
18. Blue Lu Barker - Loan Me Your Husband
19. Blue Lu Barker - Bow Legged Daddy
20. Blue Lu Barker - Love That Man



ABC of the blues volume 04
volume 04



publicado por mara* às 03:07 | link do post | comentar