janis joplin

mulheres no rock'n'roll
chrissie hynde = the pretenders
crucified-barbara
dolores o'riordan = the cranberries
doro pesch = warlock
girlschool
imelda may
joan jett | lita ford = the runaways
siouxsie and the banshees
wendy o williams = plasmatics

janis joplin‘A gente parece um verme com uma grande sensação dramática. Talvez gostem mais de minha musica se pensarem que estou promovendo minha autodestruição. Entrei nisso porque tenho alguma coisa por dentro. Minha habilidade não foi adquirida, se faço algo, faço-o com toda a alma. Não consigo entrar em cena e fingir; tenho que libertar o que tenho dentro de mim’. Essas palavras são de Janis Joplin, numa entrevista que deu pouco antes do Festival de Woodstock, quando ainda era reconhecida como a maior cantora branca de rock dos Estados Unidos, o que equivalia a dizer do mundo. Embora parecesse plenamente realizada como artista diante do público, seus amigos sabiam que o resto de sua vida era um vazio. ‘O pior é a solidão, disse ela em outra entrevista. De certa forma, com a fama, perdemos todos os velhos amigos. As viagens nos distanciam e é difícil fazer novos amigos. Quando não estou em cena, estou ensaiando, vendo televisão, entrando e saindo de hotéis. É uma vida solitária. Vivo para o momento das apresentações, cheia de emoção e excitação, como esperando por alguém a vida toda’.

Janis Joplin teve uma carreira apaixonada e rápida, interrompida por sua morte aos 27 anos em consequência de uma dose excessiva de heroína. Em outubro de 1970, aos 27 anos, Janis Joplin foi encontrada morta no apartamento de um hotel de Hollywood por John Cooke, guitarrista da recém formada banda ‘Full-Tilt Boogie’. A cantora estava deitada de bruços, entre o criado-mudo e a cama e tinha 14 marcas de agulha no braço por onde injetou uma quantidade fatal de heroína, e o nariz quebrado, por uma provável queda. Ao seu lado, uma garrafa de uísque. Vivendo em um subúrbio de San Francisco, Janis estava em Hollywood gravando e bebia pelo menos um litro de uísque em cada uma de suas apresentações. Janis Joplin era a cantora de rock mais bem paga do mundo quando morreu. No mês anterior à sua morte, o guitarrista Jimi Hendrix, também com 27 anos, foi encontrado morto em um apartamento de Londres, vitima igualmente do excesso de drogas.

janis joplin - big brother and the holding company

Big Brother and The Holding Company

Tratada com repulsa Janis Lyn Joplin foi expulsa de três universidades e gostava de andar com os negros de Port Arthur, Texas, onde nasceu, e de ouvir os discos de Billie Holiday, Bessie Smith e Leadbelly. Janis teve uma infância dura, embora fosse filha de um proprietário de uma refinaria de petróleo. Tentou ser pintora, mas seu caminho foi traçado pelo blues. Começou a cantar country e blues na década de 60. Quando tinha 16 anos, já viajava pelos Estados Unidos de carona, fumava cigarros de palha e gostava de tomar gim. Frequentava guetos de negros, aprendia músicas sacras e lutava pela integração racial. Seu melhor amigo, um negro chamado Tio Tom, foi morto a pancadas pelos brancos. Aos 17 anos começou a cantar profissionalmente, em Austin, criando seus blues branco, ou cósmico, como preferia defini-lo.

janis joplin & tina turner (1960)

Janis com Tina Turner (1960)

Conheceu e apaixonou-se pelo músico, Bruce, morto em combate no Vietnã e sua vida chegou ao caos, fumava maconha e tomava LSD enquanto cantava em boates de terceira categoria em troca de bebida e sanduiches de bacon. Foi um amigo de Bruce, Sam Andrew, que em 1966 a levou para San Francisco onde tornou-se vocalista da banda ‘Big Brother and the Holding Company’, formada por Sam e James Gurley nas guitarras, Pete Albin no baixo e David Getz na bateria. No festival de Monterrey de 1967 a atuação de Janis Joplin na banda contagiou a platéia, principalmente por sua versão de 'Summertime'. A crítica também ficou impressionada com aquela voz rouca e a performance sensual da moça, que cantava blues como nenhuma cantora branca havia feito até então. Usava perucas roxas e vermelhas, às vezes não usava nada, os cabelos compridos sacudiam-se ao ritmo da música. Ofuscava as bandas que a convidavam para tocar, enlouquecia quando cantava. Chegou a ser processada por dizer palavrões em um de seus shows e a ser presa por ficar nua durante uma apresentação, em outra ocasião por insultar os guardas que procuravam protegê-la de suas fãs.

janis joplin

Em 1968 foi a grande atração do Festival Monterey onde apresentaram a canção ‘Piece of my Heart’. No mesmo ano a banda lançou o álbum 'Cheap Thrills', que foi um recorde de vendas. Logo depois Janis abandonou a banda para formar a sua própria. Foi para Woodstock, mas sua participação não apareceu no documentário e no disco pela má qualidade do show. Janis Joplin iniciou sua carreira solo em 1969. A rapidez com que ficou famosa talvez tenha sido um tanto violenta para uma personalidade tão instável. Janis passava da euforia ao desespero, bebia demais e usava heroína. Em 1970 veio ao Brasil e foi maltratada, no Teatro Municipal onde era esperada como uma estrela de Hollywood apareceu como uma hippie. E lançou o álbum 'Pearl' (seu apelido entre os amigos). Dias depois das gravações, Janis foi encontrada morta. 'Pearl' saiu com duas faixas a menos que o previsto. Foram lançadas várias coletâneas póstumas e em 1973 foi gravado um documentário, intitulado simplesmente ‘Janis’. Em 2003, ano em que Janis Joplin completaria 60 anos, chegou às lojas a coletânea 'Essential Janis Joplin' e a estréia do musical 'Love, Janis', supervisionado pela irmã Laura Joplin.

Janis Joplin – Anthology (1980)

Anthology (1980)
CD 1    CD 2

Tracklist CD 1
01. Piece of My Heart 02. Summertime 03. Maybe 04. Try (Just a Little Bit Harder) 05. To Love Somebody 06. Kozmic Blues 07. Turtle Blues 08. Oh, Sweet Mary 09. Little Girl Blue 10. Trust Me

Tracklist CD 2
01. Move Over 02. Half Moon 03. Cry Baby 04. Me and Bobby McGee 05. Mercedes Benz 06. Down on Me 07. Bye Bye Baby 08. Get It While You Can 09. Ball and Chain

janis joplin - kozmic blues



publicado por mara* às 22:30 | link do post | comentar