apocalypse now

apocalypse now

Foto tirada pelo fotógrafo pacifista Philip Jones Griffiths em 1968 durante a Batalha de Saigon. O soldado vietcongue, ferido no estômago, sobreviveu durante três dias segurando as entranhas com uma bacia. A foto, onde soldados americanos oferecem água ao combatente, serviu de inspiração para o diretor Coppola em uma cena célebre com o Tenente-Coronel Kilgore, interpretado por Robert Duvall, no filme ‘Apocalypse Now'.

apocalypse now redux (2001)

Com quase 50 minutos adicionais, o diretor Francis Ford Coppola apresentou em 2001 a versão definitiva de ‘Apocalypse Now’ com cenas preciosas cortadas da versão original. Apresentado como ‘Apocalypse Now Redux’, a palavra latina redux significa ‘trazido de volta’, no sentido de alguém que retornou, por exemplo, da guerra, é uma versão renovada, reeditada e remixada de um filme considerado como um dos mais importantes já realizados. Baseado na novela ‘Heart of Darkness’ de Jósef Teodor Konrad Korzeniowski, conhecido como Joseph Conrad, escritor ucraniano de uma região que foi parte da Polônia, mas na época estava sobre controle russo. Um livro cuja ação se passa na África do final do século passado, mas que Francis Ford Coppola transpôs para o Vietnã de 1969, retratando a guerra como um mergulho na loucura. Neste cenário, o capitão Willard (Martin Sheen), já no limite, é designado para encontrar e matar o Coronel Kurtz (Marlon Brando), um oficial brilhante que, de acordo a alguns rumores, perdeu o juízo e instalou-se na selva do vizinho Camboja como uma divindade local e letal e organizou um exército particular para atacar as tropas americanas. Coppola discorda. Desde a primeira e antológica cena, aquela em que helicópteros cruzam uma selva em fogo, ao som da canção ‘The End’, do grupo ‘The Doors’ até o final da longa descida de Willard pelo Rio Mekong, o filme defende a tese de que não há diferença entre a loucura de Kurtz e a insanidade da presença americana no Vietnã. ‘Apocalypse Now’ é a inscrição numa parede de pedra na aldeia onde Kurtz se refugia e na penumbra de uma choça declama ‘The Hollow Men’ (Os Homens Ocos), de T.S. Eliot.

francis copollaGuiado pelo Coronel Kilgore (Robert Duvall), fã de napalm, surfe e de música clássica, ao longo do caminho, Willard assiste a todos os absurdos possíveis: um show de coelhinhas da ‘Playboy’ em plena selva vietnamita; um coronel insano que se utiliza da música do compositor Wagner em megafones presos aos helicópteros e chacina um vilarejo inteiro só para poder surfar nas ondas de sua praia. O mesmo coronel é dono da fala mais célebre do filme: ‘Sente esse cheiro? É napalm, nada mais no mundo cheira assim. Adoro o cheiro de Napalm pela manhã.’ A viagem ao longo do rio num pequeno barco, é acompanhado por um louco que comanda recrutas que preferem navegar e usar drogas. Cercado de perigos e incidentes, Willard se confronta com seus medos interiores, com o terror da guerra e da selva quando sai a procura de mangas e é surpreendido por um tigre. O aspecto mais arrasador do filme é que seus personagens não têm nenhuma motivação além do horror ou do absurdo, e nenhuma reação além da indiferença ou da perplexidade.

Foram quinze meses de filmagens. Martin Sheen teve um enfarte, e muitos da equipe foram derrubados por doentes tropicais, enquanto outros desistiram no meio do caminho. Um filme espetacular que custou a Coppola quatro anos de trabalho, mais de 30 milhões de dólares, um colapso nervoso e a perda de vinte quilos durante as filmagens com chuvas em selvas filipinas. A produção caótica também experimentou furacões que destruíram cenários e freqüentemente as Forças Armadas filipinas tomavam de volta os helicópteros que haviam emprestado, interrompendo o trabalho. Quando o filme pronto foi exibido em Cannes, em 1979, Francis Ford Coppola apresentou-o com uma frase que ficou célebre: ‘Este não é um filme sobre o Vietnã. É o próprio Vietnã’. O resultado final foi uma obra inquietante e para mim, continua sem rival. E as melhores cenas do filme ainda são aquelas encontradas na versão original.

apocalypse now  martin sheen

Capitão Willard (Martin Sheen)

apocalypse now robert duvall

Coronel Kilgore (Robert Duvall), dono da fala mais célebre
do filme: ‘adoro o cheiro de napalm pela manhã...’

apocalypse now bombardeio

ao som de 'Ride of the Valkyries', de Wagner,
o bombardeio à ilha vietnamita.

apocalypse now coelhinhas da playboy

ao som de ‘Susie Q’, as coelhinhas da ‘Playboy’
se apresentam: ‘estamos orgulhosas de vocês,
sabemos que tem sido difícil. E como prova
disso, estamos oferecendo entretenimento’

Apocalypse Now

ao som de 'Strange Voyage, a viagem
vai chegando ao seu fim...

apocalypse now

‘Querido filho, deixarei em suas mãos contar
para sua mãe o que quiser desta carta. Quanto
às acusações contra mim, não estou preocupado.
Estou além da moralidade tímida e mentirosa
deles, por isso estou além da preocupação.
(W. Kurtz)


carmine coppola E o álbum da trilha sonora original foi igualmente inovador: uma colagem intrigante de diálogos, monólogos e efeitos sonoros e não apenas música. Estão lá a voz de Martin Sheen no papel do Capitão Willard intercalada com sons da selva, com Marlon Brando declamando a sua poesia, com gongos e sinos da Ásia. Em todos os sentidos, esta trilha sonora traz o tom e a essência da imagem. Duas décadas depois, Coppola voltou a analisar o projeto, acrescentando cerca de uma hora de cenas inéditas e renovou a trilha sonora também. Mas enquanto o filme foi levado a novas dimensões, o novo álbum da trilha sonora parece despido de praticamente todas as principais contribuições. O que permanece é principalmente música. ‘The End’ continua a ser um marco icônico e outras revelam claramente as inspirações de Tomita, Holst, Wagner, Stravinsky. ‘Apocalypse Now Redux’ contém a maioria das faixas originais (remastered), bem como algumas novas como ‘Clean´s Funeral ‘ e ‘Love Theme’. O ‘Redux CD’ tem de fato somente a música, que é assustadoramente bela.

A trilha foi composta por Carmine Coppola e Francis Ford Coppola, com algumas faixas de Mickey Hart e Richard Hansen. Carmine Coppola é compositor de grandes obras além de partes da trilha de ‘Apocalypse Now’. Criou e regeu a trilha sonora de ‘The Godfather III’, última soundtrack do veterano maestro-compositor, pai do diretor Francis. Tendo estudado flauta e composição, em Nova York, foi músico da sinfônica de Detroit e, mais tarde, tocou sob a regência de Toscanini na sinfônica da NBC. Dirigiu comédias musicais na Broadway e seu primeiro trabalho no cinema foi ‘Finninan's rainbow’, musical dirigido por Francis. Depois Carmine Coppola teve a felicidade de ter a colaboração de um dos maiores compositores da música do cinema, Nino Rotta. Sua contribuição à música de cinema não ficou apenas nos filmes do ilustre filho. Um de seus trabalhos mais importantes foi criar uma trilha sonora original para ‘Napoleon’, que Abel Gance realizou em 1925.

algumas curiosidades do filme

- Laurence Fishburne mentiu sobre sua idade (ele tinha 14 anos) quando a produção começou.
- Harvey Keitel foi originalmente escalado como Capitão Willard. Com duas semanas de filmagens, Coppola o substituiu por Martin Sheen.
- Foi filmado nas Filipinas, onde Ferdinand Marcos concordou em oferecer helicópteros e pilotos. O governo de Marcos também precisava deles para lutar contra os rebeldes, e algumas vezes os tirava no meio das filmagens, mandando diferentes pilotos cada vez e que não estavam familiarizados com as filmagens.
- Quando Martin Sheen teve o ataque do coração durante as filmagens; algumas cenas de Willard de costas são, na verdade, outra pessoa.
- Marlon Brando pediu um milhão de dólares adiantado. Ele ameaçou desistir e Coppola disse a seu agente que se não conseguisse Brando, ele tentaria Jack Nicholson, Robert Redford e Al Pacino. Brando apareceu atrasado, bêbado e admitindo que não tinha lido o script e muito menos o livro ‘Heart of Darkness’. Ele leu o roteiro de Coppola, e se recusou a fazer. Após alguns dias de discussão um novo roteiro foi feito, e esse foi filmado de acordo com a vontade de Brando que tinha que aparecer nas sombras por estar 40kg mais gordo.
- O produtor Sam Bottoms estava sobre os efeitos de speed, LSD e maconha durante as filmagens de algumas cenas do filme.
- O diretor Francis Ford Coppola propôs fazer esse filme dez anos antes dele ter recebido o dinheiro para projeto. O estúdio não achava que ele pudesse dar conta de um projeto tão grande e o incumbiram da trilogia ‘The Godfather’, tornando-se extremamente famoso, rico e respeitado.
- Coppola investiu muitos milhões de seu próprio bolso depois que o filme passou drasticamente do orçamento.
- Coppola ameaçou cometer suicídio várias vezes durante as filmagens.
- O personagem de Harrison Ford veste um uniforme que está escrito Lucas. George Lucas dirigiu Ford em Guerra nas Estrelas, o filme que tornou Ford famoso.
- O jornalista fotógrafo, personagem de Dennis Hopper, foi inspirado no lendário fotógrafo Tim Page.
- Em maio de 1979, 'Apocalypse Now' se tornou o primeiro filme a vencer a Palma de Ouro em Cannes sem mesmo ter sido completado. Por causa dos jurados que não conseguiram chegar a um voto unânime, o filme teve que dividir o prêmio de melhor filme com ‘The Tin Drum’.

apocalypse now - strange voyage


soundtrack - apocalypse now (1979)

Apocalypse Now: Original Motion Picture Soundtrack (1979)
CD 1    CD 2

Tracklist CD 1
01. The End 02. Saigon [Narration and Dialogue] 03. The End (Pt. 2) 04. Terminate [Narration and Dialogue] 05. Delta 06. P.B.R. [Narration and Dialogue] 07. Dossier #I 08. Colonel Kilgore [Narration and Dialogue] 09. Orange Light 10. Ride of the Valkyries (Vienna Philharmonic Orchestra) 11. Napalm in the Morning (Dialogue) 12. Pre-Tiger 13. Dossier #II 14. Susie-Q 15. Dossier #III 16. 75 Klicks (Dialogue) 17. The Nung River

Tracklist CD 2
01. Do Lung Bridge 02. Letters from Home 03. Clean's Death 04. Chief's Death/Strange Voyage 05. Strange Voyage 06. Kurtz' Compound (Dialogue) 07. Willard's Capture 08. Errand Boy (Dialogue) 09. Chef's Head 10. Hollow Men 11. Horror (Dialogue) 12. Even the Jungle Wanted Him Dead (Dialogue) 13. The End

soundtrack - apocalypse now redux (2001)

Apocalypse Now Redux (2001)

Tracklist
01. Opening: The End (The Doors) 02. The Delta 03. Dossier 04. Orange Light 05. Ride of the Valkyries (Vienna Philharmonic Orchestra) 06. Suzie Q (Flash Cadillac) 07. Nung River 08. Do Lung 09. Letters From Home 10. Clean´s Death 11. Clean´s Funeral 12. Love Theme 13. Chief´s Death 14. Voyage 15. Chef´s Head 16. Kurtz Chorale 17. Finale

publicado por mara* às 19:46 | link do post | comentar